fbpx

Tenho ouvido (ou lido), imensos experts a falar sobre este assunto.

Sei que tenho falado muito no facto de a Internet ter mudado, e muito, o acesso à informação.

Tem os seus prós e contras. Desde as dietas que escondem todos os alimentos, e que seguem uma dieta composta por 5-6 alimentos no geral, às dietas que abrem toda a panóplia para comerem o que bem lhes apetecer.

Existe então alguma forma de categorizar os alimentos como “saudáveis” ou “não saudáveis”?

Podem ter a certeza que sim.

Se tentarmos categorizar cada macronutriente com um conceito de saudável mais abrangente:

 

• Proteína:

∗ Proteínas completas ou fontes complementares de proteína, na sua maioria de produtos animais. Com isto não significa que os vegetarianos não consigam obter uma dieta com bastante proteína, mas eles próprios sabem que os não vegetarianos têm um leque de escolhas muito maior.

• Hidratos de Carbono:

∗ Vegetais, frutas e grãos completos. Além de carregados com vitaminas, minerais, fitoquímicos e fibra, os quais têm provas de que contribuem para uma dieta saudável.

• Gordura:

∗ Fontes de gordura altamente compostas por gorduras mono e polinsaturadas (N-3), como o azeite, frutos secos, manteigas de frutos secos, abacate, linhaça e peixe.

Podem ingerir alimentos que não estão na lista acima e ainda serem saudáveis? Claro. Especialmente se a base principal da dieta incluir os alimentos acima e mantiverem o vosso peso corporal (ou índice de gordura) dentro de padrões saudáveis. Isto requer atenção ao aporte calórico e bastante actividade física.

Para mim a questão é que categorizar apenas uma lista mínima de alimentos como saudáveis, é tão diminuto como categorizar todos os alimentos como iguais.

Fazendo referência a algumas dietas da moda como Paleo, Low Carb, Low Fat, Cetogénica, Atkins, etc. faço referência ao seguinte estudo:

“As evidências mostram que não existe uma dieta única que optimize a saúde do paciente. O estudo mostrou uma grande variabilidade na reacção a refeições exactamente iguais, de uma amostragem grande de pacientes (800 pessoas). Isto levou os investigadores a concluir que recomendações universais para directrizes de dieta estão dependentes de uma variabilidade de factores que mudam de pessoa para pessoa.”

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26590418

Por isso apesar do vosso “guru” vos ter dito (ou porque leram em mais um livro da moda) que existe “A DIETA”, não será necessariamente verdade. Cortar um dos grupos alimentares pode não significar nenhuma melhoria nem na saúde, nem na composição corporal.

Qual a solução final para garantir que além das escolhas correctas, utilizam as calorias suficientes:

• Atinjam diariamente o vosso aporte calórico pré-definido

• Ingerir fibra suficiente, como guia 10-15g por cada 1000kcal

• Tentem ingerir a maioria dos vossos alimentos da lista descrita acima.

Assim garantem que não estão a ingerir uma tonelada de comida demasiado processada, além de focar principalmente nos alimentos que vos permitem ter todos os micronutrientes necessários.

Querem aprender a calcular as vossas calorias? Vejam:

Como calcular as vossas macros

Precisam de ajuda nessa tarefa? Contactem-nos através do formulário de contactos ou enviem email directo para geral@localhost .

Translate »