fbpx

Provavelmente um dos maiores movimentos recentes no que toca a “dietas”, ou uma forma mais correta de chamar, uma forma de seleccionar os alimentos a ingerir no teu dia-a-dia.
E apesar de tantos famosos falarem desta forma de se alimentar, será esta a dieta certa para ti?
Um dos pontos que gosto de deixar claros é que na Sik Nutrition não somos a favor de qualquer abordagem extremista que se aproxime mais de uma religião do que propriamente de u ma forma de te alimentares. Como já foi falado noutros artigos que a Paleo é uma abordagem extremamente inteligente e pode ser uma boa abordagem, mas provavelmente não pelas razões que pensas!

A dieta Paleo

Enquanto o movimento Paleo se apoia muito na era Paleolítica defendendo que são essas as razões pela eficácia desta mesma dieta em tanta gente, vemos discordar um pouco.
Mas antes de mais, um pouco de história!
O Período Paleolítico remonta a cerca de a cerca de 2,5 milhões de anos até a cerca de 10 000 anos atrás. Foi à cerca de 10 000 anos que ficou marcada a Revolução Agrícola (também conhecido como Período Neolítico) onde foi começou a grande produção de grãos e pecuária. Esta altura é conhecida pelos Paleos como o marco da destruição alimentar causada pela civilização através da Agricultura e Pecuária em massa.
No entanto os estudos não são suficientemente evidentes para provar que existe alguma prova de causa/consequência destas mudanças alimentares!
Ainda assim, a Paleo funciona muito bem com imensas pessoas porque usa os princípios básicos que se aplicam, na nossa opinião, a qualquer dieta: consumo maioritariamente de alimentos completos e não processados, grande foco no consumo de fontes de proteína, vegetais, fruta e gorduras saudáveis.
Dependendo da abordagem, alguns Paleos incluem já também algumas fontes de hidratos de carbono (minimamente processadas) como batata-doce e algumas farinhas sem glúten.

O que se pode comer na Dieta Paleo?

No geral a dieta Paleo inclui:

Permitido

Proíbido

Fontes animais, peixes, marisco Grãos e leguminosas
Ovos Leite e derivados
Fruta (preferencialmente bagas) Açúcar
Vegetais (excepto tomate, batata) Óleos refinados
Frutos secos (excepto amendoins) Sal de mesa
Sementes Café e álcool

 

Pontos a analisar na Paleo

E aqui entram alguns dos factores que sempre me deixaram reticente com a abordagem Paleo.
Um dos primeiros é a proibição das leguminosas.
Existem imensos estudos que provam as múltiplas aplicações terapêuticas a nível de saúde com consumo de leguminosas, e existem provas suficientes que são sem dúvida um superalimento.
Outro ponto importante é a aversão ao glúten.
A doença celíaca é uma doença auto-imune relacionada com a digestão do glúten no intestino. Esta doença afecta cerca de 0,3 a 1,2% de toda a população.
Existe também a intolerância ao glúten, que é conhecida como sensibilidade ao glúten não celíaca que não tem qualquer critério para diagnóstico a não ser “tentativa e erro”.
Como resumo a doença celíaca e a intolerância ao glúten estima-se que afectem no máximo 10% da população.
 

Suplementos e Barras Paleo

Outro ponto que sempre me deixou curioso é como será feita esta análise? Se na era Paleolítica não havia este tipo de produtos como podem existir Proteínas Paleo, Barras proteícas Paleo e semelhantes?

Outras abordagens alimentares com longevidade

As zonas conhecidas como Zonas Azuis são as populações mundiais com as maiores expectativas de vida incluindo algumas das pessoas mais velhas do mundo e baixas taxas de doenças crónicas e degenerativas. Entre as zonas azuis estão: Icária (Grécia), Loma Linda (Califórnia), Nicóia (Costa Rica), Sardenha (Itália), Okinawa (Japão).

E o que têm estas zonas em comum?

  • Alimentação baseada no consumo de vegetais
  • Consumos calóricos baixos, em linha apenas com as suas necessidades médias (não têm tendência a comer em excesso)
  • A maioria dos seus alimentos são de quintas de produção caseira e a maioria das suas refeições é preparada em casa
  • O principal macronutriente consumido são os hidratos de carbono
  • Consomem bastantes leguminosas: favas, feijão, soja, lentilhas.
  • 3 das 5 zonas consomem café regularmente
  • 4 das 5 zonas consomem álcool regularmente
  • Todas as 5 zonas consomem leguminosas e grãos
  • Nenhuma das zonas segue uma abordagem ao género Paleo

 

Com isto queremos dizer que não se deve seguir uma abordagem Paleo?

Não. No entanto é muito difícil adivinhar o que era na realidade a alimentação do nosso pré-histórico. Mas abordagens modernas da Paleo que incluem um grande foco nos alimentos pouco refinados e os menos processados possíveis, tem uma grande evidência de serem os melhores alimentos para construir a tua dieta!
 

Resumo

Como resumo, as escolhas Paleo (independentemente das crenças) são óptimas! Se prevenires que entras em excedentes calóricos loucos a consumir quilos de carne e gordura “saudável”, tens aqui um excelente ponto de partida. No entanto evitar extremismos de Preto ou Branco, que causam graves problemas na hora de lidar com os alimentos, vai te prevenir alguns problemas de frustração com a dieta no futuro.
Não entres em modas, ou crenças, se não as percebes realmente! Retira o melhor do Paleo, e aposta em comidas de verdade, e sem dúvida que será um bom “kickstart” na tua dieta.
Aposta em alimentos o menos processado possível, consumo de alimentos “menos saudáveis” devem ser uma minoria da tua dieta sendo 10-20% no máximo, evita extremismos na tua abordagem nutricional para evitar ficar preso numa dieta aborrecida e inconsistente a longo prazo.
Respeita sempre a tua preferência de palato, e a tolerância aos alimentos escolhidos por ti, e estás no bom caminho!
#Descomplica #TeamSikNutrition #SikNutrition

Translate »