fbpx

E hoje é o meu dia! O teu, o nosso dia! O dia em que celebras a criança que vive dentro de ti, e que será bom que viva muito tempo, para uma alma jovem para sempre.
É dia de festejar com os mais pequenitos aí de casa também, sejam filhos, sobrinhos ou afilhados. E o post de hoje é sobre eles mesmo.
Ao longo deste post vamos explorar as melhores estratégias para manter uma alimentação equilibrada e saudável em casa, mesmo quando os restantes não estão focados nesse objetivo (sejam eles os pequenitos, ou os grandotes 😉).

As Dificuldades

Na maioria dos casos que conheci, em que existem crianças em casa, torna-se complicado embarcar numa dieta restritiva… Mas mesmo por vezes com a nossa abordagem mais abrangente e flexível, ainda existem alguns momentos que as crianças (e as caras metade) parecem em nada facilitar o processo.
O porque tornam tudo mais difícil ao não querer comer o mesmo que tu, ou porque existem em comer coisas super calóricas e saborosas que colocam em causa o teu poder de autocontrolo!
Já ouviste outros treinadores dizerem:

“Tens de tentar mais, tens de tentar com mais força!”

Será que tentar com mais força é a solução?
As mudanças, devem começar com um clique. E esse clique deve estar bem estruturado nos teus dois sistemas cerebrais: a parte racional, e a parte emocional.
Desta forma podes transformar os sabotadores da tua dieta, nos melhores aliados dessa mudança que há tanto tempo procuras. As dificuldades podem fortalecer-te, e enfrentar estes momentos com a mentalidade de Crescimento, pode levar-te a abraçar com mais força este desafio.
Vamos então perceber o que TU podes mudar, e como podes ajudar os pequenos a mudar também.

O que pode mudar no teu mindset

Antes de poderes recrutar a ajuda dos restantes, primeiro de tudo deves fazer uma pausa nesse ponto de partida e colocar alguns pontos nos “i’s”. Se queres fazer tu primeiro a mudança, deves fazer dois pequenos passos:

  • Educar o teu lado mais racional, tendo a certeza que o teu plano e objetivos são claros e sem qualquer tipo de ambiguidade para que não existam dúvidas
  • Educar o teu lado mais emocional, qual a razão que te levou a embarcar no plano? Existe alguém que ficará feliz contigo na tua mudança? (os pequenos adoram ver-nos felizes)

Desta forma consegues começar a traçar a tua nova identidade, e mudar por completo as tuas decisões a longo prazo, tornando-se mais fácil não quebrar nos momentos que os restantes não facilitam. Podes ver mais sobre este assunto num dos nossos vídeos aqui.
Daqui em diante recomendo-te os seguintes passos, para transformar o teu diálogo interno num diálogo construtivo:

  1. Faz a afirmação de que queres atingir este objetivo
    • Planear a intenção de o fazer com as tarefas organizadas com hora, dia e data fará que o plano seja mais simples. Mais neste vídeo 
    • Afirma não só para ti, mas faz questão que todos percebam da importância que tem
  2. Olhos que não vêm, coração não sente
    • Apesar de poderes achar que o teu autocontrolo vai superar os alimentos visíveis constantemente, o teu super evoluído cérebro que está preparado para se proteger do fim do mundo, vai te gerar sinais para comer o que não deves…
    • Tenta manter as comidas “gatilho” em sítios que tu não vejas, se não as queres comer. Desta forma só será servida aos pequenos quando eles quiserem/puderem comer, e se já forem mais crescidos e lhes explicares onde está saberão ir lá buscar (armários, prateleiras mais baixas do frio, etc)
  3. Tenta ter claro a maioria dos teus snacks preparados
    • Evita assim tantas decisões na hora de comer, e ver os pequenos comerem coisas que tu até querias. Podes ver mais um pouco em vídeo sobre o assunto, aqui neste vídeo do coach João.
  4. Aprende a cozinhar substituições de sobremesas mais saudáveis
    • Mesmo que não convenças os pequenos a comer sobremesas mais proteicas e light, pelo menos comes tu e não te custará tanto vê-los a comer uma bela sobremesa enquanto tu comes… Um cubo de gelo!
  5. Se tens poder na cozinha, partilha a tua saúde com eles
    • Se optares por comer pescada e brócolos todos os dias, pode se tornar difícil convencer os pequenotes…
    • No entanto se optares por pegar nos pratos favoritos deles, e conseguires adaptar ao teu plano, a probabilidade de a transição funcionar é muito maior (para ti, e para eles)
    • Troca fritos por forno, estufados carregados de azeite por versões mais leve, opta por trocar refrigerantes por bebidas 0 kcal como água ou água com sabores feita em casa.
  6. Tenta ser tu a fazer as compras, ou pelo menos a lista de compras
    • Se fores tu a preparar a lista vais organizar tudo para que consigas cumprir com os pontos anteriores.
    • Tenta ter sempre vegetais congelados e frescos, saladas já lavadas e preparadas e outras opções cómodas.
    • Nos dias em que o prato seja preparado por outro da casa ou devido a uma birra do pequeno que quer pizza… Se tiveres mais saladas e vegetais permite criar um acompanhamento que te sacie e evite que comas o prato calórico em demasia.

Com estes 6 passos vais estar mais forte e mais capaz de começar a envolver os restantes no ambiente favorável que vais criar. E como mudar o mindset deles?

Como podes ajudar a mudar mindset deles

Agora que estás superforte mentalmente, e tu tens o controlo da situação, de que forma subtil podes começar a muda-los?

  1. A Regra número 1, não há refeições diferentes
    • Tenta cozinhar o mesmo prato, e snacks para todos
    • Assim não crias precedentes, e todos saberão o poder de negociar: uns dias serão mais ao teu “género” light, outros dias um pouco menos e mais ao género dos pequenos… Nada como um bom poder negocial.
    • Aposta nas refeições que estejam a meio das tuas preferências, e das deles, e te permitam cumprir o plano.
  2. A número 2, passa por fazer um Workshop caseiro das mudanças na cozinha e dispensa
    • Na tua mudança principal já começaste a ter as coisas mais calóricas e que não cumprem com o teu plano, em locais menos visíveis
    • Agora deves explicar que estas mudanças de layout são para manter, e aposta em explicar a todo onde está o quê e quais as regras a cumprir (como se fosso um jogo, os pequenos adoram)
    • Não vais assim esbarrar a cada 5 minutos em chocolates, bolachas, ou outro tipo de alimento que te leve a cometer excessos
  3. A Regra 3 é esqueça a culpa, ninguém te vai chamar Salazar por reduzires na comida processada
    • Exceto o nosso atleta Nuno Lima (perdoa-me Nuno) que diz que a Tânia Lima é o Salazar das Macros ahahah, mas no fundo é uma prova desta estratégia: ninguém culpa a Tânia por plantar um ambiente favorável à saúde de todos lá em casa
    • Cuidares da alimentação e saúde deles é BOM, e não um ato penitencial.
  4. Prepara snacks individuais para os pequenos
    • Os snacks deles devem ser comidos nas refeições que lhes preparas para levar para a escola, e se não forem frescos podem ficar para o dia seguinte.
    • Não caias no erro de comer o resto que lhes sobra no prato, ou os snacks que sobraram na mala… Essas calorias ainda contam para ti, e não para eles!
  5. Serve as refeições principais de todos lá de casa na cozinha e no prato de cada um
    • Não leves tachos e recipientes quentes para a mesa, para evitar que todos, e tu principalmente, repitam
    • Se cada um levar o seu prato feito vão aceitar melhor as porções, e se um pequeno quiseres repetir aí sim levantas e serves mais, mas os alimentos já não estarão tão disponíveis na mesa
  6. Faz das refeições e preparação das mesmas um momento de prazer
    • Envolve os mais pequenos em receitas fixes!
    • Testa com eles as seguintes:

Por último, apela ao lado emocional deles, que precisas deles e da ajuda para conseguires ser mais feliz. Ninguém aí em casa gostará de te deixar mal… Prometo!

Resumo

Como vês, convencer a malta aí de casa a fazer esta jornada contigo não é o plano mais fácil de sempre e exige algum trabalho de casa da tua parte… Mas não é de todo impossível!
Começa por trabalhar em ti primeiro nos passos que vão permitir tornar as tuas ações e decisões mais sólidas e coerentes para os teus objetivos, e depois passas a começar lentamente a converter todos aí de casa a comer de forma mais saudável pouco a pouco.
Tornar a preparação de refeições um evento familiar, evitar chamar as refeições “saudáveis” pode ajudar também a tirar a conotação de “sem sabor”, assim como respeitares as mudanças graduais com passos pequenos, e implementações dia a dia.
Por último aceita que nem todos os dias serão perfeitos, mas que cada dia bom no teu seio familiar para uma dieta mais saudável, é como uma moeda no teu mealheiro, que vai criar uma bela Poupança e um resultado Risonho! Assim consegues descomplicar.
 
Feliz dia da criança em meu nome, e da Sik Nutrition.
Coach João

Translate »