fbpx

Esta série constará de 3 artigos, partido em 3 partes:

  • Parte 1 – O que nos dizem os rótulos?
  • Parte 2 – Produtos com Rótulos Especiais e Legislação
  • Parte 3 – Aplicação Prática da Leitura de Rótulos

Agora que já tratas os rótulos por tu, após ler a Parte 1 desta série de artigos, como identificar um produto light? Ou um produto zero?

Como ler rótulos e perceber o que dizem? (Parte 1)

 

Introdução

No artigo de hoje (Parte 2) vamos focar-nos nos Produtos com Rótulos Especiais e respetiva legislação.

A ideia será perceber qual a legalidade associada a algumas das ideias vendidas nos produtos e uma especial atenção a produtos, sem rótulo.

Produtos com Rótulos Especiais e Legislação

Antes de mais o que considera a legislação:

  • Alegação de saúde: qualquer alegação que declare ou sugira a existência de uma relação entre o alimento e a saúde. Necessitam de estudos que comprovem a alegação e da aprovação pela Comissão Europeia.
  • Alegação de redução de um risco de doença: qualquer alegação de saúde que declare ou sugira que o consumo de um alimento reduz significativamente um fator de risco de aparecimento de uma doença humana.
  • Alegação nutricional: Qualquer alegação que declare ou sugira que um alimento possui propriedades nutricionais benéficas particulares devido à sua energia (valor calórico) e/ou aos seus nutrientes ou outras substâncias. As alegações nutricionais que estão permitidas por lei e têm critérios específicos para tal, referem-se a: Valor Energético; Gordura; Gordura Saturada; Açúcar; Sódio/sal; Fibra; Proteína; Vitaminas e Minerais; Light; Ómega-3.

Toda este capítulo usou os dados fornecidos pelo de Reg. 1924/2006 de 10 de Dezembro, Decreto-Lei nº 54/2010 de 28 de Maio e D.L. nº 167/2004 de 7 de Julho).

Vamos analisar caso a caso para saberes as diferentes categorias.

Produtos com alusão ao conteúdo energético:

  • Baixos em calorias
    • só pode feita quando a quantidade de calorias representar:
    • < 40kcal por 100g para sólidos
    • < 20kcal por 100ml para líquidos
    • < 4kcal por porção para adoçante
  • Light/Magro:
    • só pode ser feita quando a redução do teor do nutriente for, no mínimo, de 30% em relação a um produto semelhante (versão normal), sendo que deve ser indicada qual a característica que torna o produto light.
    • É normalmente utilizada para a redução de gordura, mas pode ser utilizada para a redução de outros nutrientes.
  • Sem Calorias
    • só pode ser feita quando o produto contem < 4kcal por 100ml (exemplos: Coca Cola zero, refrigerantes zero, Syrups Zero, etc.…)
    • Adoçantes que representes < 0,4kcal por porção

Produtos com alusão ao conteúdo de gordura:

  • Baixos em gorduras
    • só pode feita quando a quantidade de gorduras representar:
      • < 3g de gordura por 100g para sólidos
      • < 1,5g de gordura por 100ml para líquidos
  • Baixos em Gordura Saturada:
    • só pode feita quando a quantidade de gorduras saturadas representar:
      • < 1,5g de gordura saturada por 100g para sólidos
      • < 0,75g de gordura saturada por 100ml para líquidos
      • < 10% do conteúdo energético total do produto
  • Sem Gordura
    • só pode ser feita quando o produto contem < 0,5g de gordura por 100g ou 100ml

Produtos com alusão ao conteúdo de açúcar:

  • Baixos em açúcar:
    • só pode feita quando a quantidade de açúcar representar:
      • < 5g de açúcar por 100g para sólidos
      • < 2,5g de açúcar por 100ml para líquidos
  • Sem açúcares adicionados:
    • só pode feita quando não forem adicionados nenhum mono ou dissacarídeo
  • Sem açúcar:
    • só pode ser feita quando o produto não contiver mais do que 5g de açúcares por 100g para os sólidos ou 2,5g de açúcares por 100ml para os líquidos

Produtos com alusão ao conteúdo de Fibra:

  • Fonte de Fibra:
    • só pode feita quando o produto contiver no mínimo 3g de fibra por 100g ou pelo menos 1,5g de fibra por 100kcal
  • Alto Teor em Fibra:
    • só pode feita quando o produto contiver no mínimo 6g de fibra por 100g ou pelo menos 3g de fibra por 100kcal

Produtos com alusão ao conteúdo de vitaminas e minerais (baseado na DDR):

  • Fonte de [Nome da vitamina ou do mineral]:
    • só pode ser feita quando o produto contiver, pelo menos, 15% da DDR por 100g ou 100ml
  • Alto teor em [Nome da vitamina ou do mineral]:
    • só pode ser feita quando o produto contiver, pelo menos, 30% da DDR por 100g ou 100ml

A legalidade está agora simples e resumida para todos os produtos comuns no supermercado. E agora o que podes fazer com esta informação?

Leitura das supostas alegações dos rótulos

Segundo as proibições da legislação sobre as alegações não podem:

  • ser falsas, ambíguas ou enganosas (por exemplo, que atribuam ao alimento virtudes medicinais indevidamente ou sem fundamento científico);
  • suscitem dúvidas acerca da segurança ou da adequação nutricional de outros alimentos;
  • incentivem ou justifiquem o consumo excessivo de um dado alimento;
  • incitem a consumir um produto, declarando ou sugerindo direta ou indiretamente que um regime alimentar equilibrado não fornece todos os nutrientes necessários;
  • refiram alterações das funções orgânicas que possam suscitar receios no consumidor.

Toda esta legislação não invalida toda a produção de marketing que leva a maioria das pessoas a associarem que desde que uma alegação exista no rótulo, automaticamente é um produto fantástico e se pode consumir sem controlo (também conhecido como “Health Hallo Effect”).

Um exemplo típico em relação aos produtos light, é o caso das batatas fritas. Apesar de light significar uma redução de 30% no conteúdo energético por 100g, continuam a ter um monte de calorias e a ser um alimento muito pouco rico a nível nutricional.

Ainda relativamente aos produtos light ou produtos baixos em gordura, é muitas das vezes substituída a quantidade de gordura por mais hidratos e açucares para compensar e manter um sabor que seja apelativo ao consumidor.

Já nos produtos sem açúcares adicionados por exemplo, o que a legislação implica é que não sejam nem mono nem dissacarídeos não implica que não se use os açucares presentes no produto como lactose e frutose. E o que eu vejo é a maioria das pessoas dizer: “Mas não tem açúcar!”

Continua a ter hidratos, e calorias, sorry!

Um bom exemplo são produtos que na sua constituição usam mel, fruta ou outro produto que adoce sem ser o açúcar de mesa. A maltodextrina também pode ser usada para este propósito por isso verifica a lista de ingredientes.

(os monossacarídeos são tudo o que sejam glicose e frutoses, os dissacarídeos são por exemplo a sacarose/açúcar de mesa, lactose ou maltose)

Os produtos que alegam ser ricos em Fibra ou Integrais podem ter na mesma imenso açúcar e gorduras, desde que a quantidade de fibra cumpra coma legislação. Muitas das vezes até são mais calóricos que as suas versões mais simples… Cuidado.

Se procuras um produto que seja realmente Integral não escolhas “o pão escuro”. Verifica a lista de ingredientes e confirma que a Farinha usada é realmente de um grão ao teu gosto, ou um grão integral.

Os que mais deves ter cuidado são mesmo os Zero. Mas são Zero de quê?

Zero açúcar?

Zero Gordura?

Zero Calorias?

Aqui a Royal tem um caso interessante, em que as Gelatinas têm um grande 0% lol, mas em letras pequenas diz “0% de Gordura”. Obrigado Royal, nenhuma Gelatina do Mundo tem Gordura!

PS: Eu adoro e consumo regularmente as gelatinas deles baixas em calorias, simplesmente é um bom exemplo de como podes criar um Rótulo mais apelativo ao consumidor sem oferecer nada.

Produtos sem informação Nutricional

As bebidas alcoólicas serão o nosso foco nesta parte. Normalmente são produtos que não contemplam a informação nutricional, mas continuam a ter calorias!

No entanto, não encontramos esses dados nos rótulos para vinhos e outras bebidas alcoólicas, dado que não é obrigatório na rotulagem destes produtos.

Uma das razões pela qual a informação nutricional não consta no rótulo do vinho, é porque está estipulado que o álcool não faz parte da dieta quotidiana.

As calorias variam de vinho para vinho, dependendo de:

  • Teor de Álcool por Volume (% álc./ vol).
    • Uma vez que o álcool é a principal fonte de calorias presente no vinho, não é possível que haja um número específico.
    • Basicamente, uvas mais doces fermentam e originam vinho com maior teor alcoólico.

O álcool tem aproximadamente 2 vezes mais calorias que o açúcar (7kcal vs. 4kcal) e por isso tem mais influência nas calorias do vinho do que o açúcar. Em alguns casos, um vinho doce com baixo teor alcoólico apresenta menos calorias do que um vinho seco com um grau de álcool elevado.

Para teres uma perceção destas calorias deixo-te alguns exemplos abaixo:

  • Vinho Branco Doce com Pouco Álcool ~6-9% alc.
    • 111-147 kcal por copo de 177ml
  • Vinho Tinto com Pouco Álcool ~11-13,5% alc.
    • 135-165 kcal por copo de 177ml
  • Vinho Espumante ~12,5% alc.
    • 158 kcal por copo de 177ml
  • Vinho Sobremesa (porto, …) 14-21% alc.
    • 189-275 kcal por copo de 177ml

Considerando que uma garrafa pode ter 750ml, podes consumir facilmente 600-700 Calorias sem te aperceberes naquelas jantaradas de fim de semana…

Mini Resumo

Como resumo gostei bastante deste gráfico:

Terminamos assim a parte 2, antes de avançar para o último artigo onde vamos resumir estes dois e fazer algumas recomendações para conseguires entender de que forma este conhecimento te pode ajudar a ter melhor resultados, fazendo melhores escolhas.

Como resumo:

  • Existem diferentes categorias:
    • Produtos com alusão ao conteúdo energético:
    • Produtos com alusão ao conteúdo de gordura:
    • Produtos com alusão ao conteúdo de açúcar:
    • Produtos com alusão ao conteúdo de Fibra:
    • Produtos com alusão ao conteúdo de vitaminas e minerais (baseado na DDR)
  • Toda esta legislação não invalida a produção de marketing que leva a maioria das pessoas a associarem que desde que uma alegação exista no rótulo, automaticamente é um produto fantástico e se pode consumir sem controlo (também conhecido como “Health Hallo Effect”)
  • Apesar de light significar uma redução de 30% no conteúdo energético por 100g, continuam a ter muitas vezes imensas calorias e muito pouco rico a nível nutricional
  • Produtos baixos em gordura são muitas das vezes substituídos por mais hidratos e açúcares para compensar e manter um sabor que seja apelativo ao consumidor
  • Já nos produtos sem açúcares adicionados por exemplo, o que a legislação implica é que não sejam nem mono nem dissacarídeos não implica que não se use os açúcares presentes no produto como lactose e frutose
  • Os produtos que alegam ser ricos em Fibra ou Integrais podem ter na mesma imenso açúcar e gorduras, desde que a quantidade de fibra cumpra com a legislação. Se procuras um produto que seja realmente Integral não escolhas “o pão escuro”
  • Os que mais deves ter cuidado são mesmo os Zero. Avalia o que é o Zero referido na embalagem
  • Atenção aos produtos sem informação Nutricional como os produtos alcoólicos
  • O álcool tem aproximadamente 2 vezes mais calorias que o açúcar (7kcal vs. 4kcal) e por isso tem mais influência nas calorias do vinho do que o açúcar. Considerando que uma garrafa pode ter 750ml, podes consumir facilmente 600-700 Calorias sem te aperceberes.

Se queres aprender a calcular as tuas quantidades para escolher melhor os produtos, face ao rótulo apresentado, podes fazer o download do nosso e-book gratuito aqui:

https://www.teamsiknutrition.com/2016/01/23/o-guia-da-dieta-flexivel/

 

Não te esqueças de colocar já em prática e… #descomplica

Coach João

 

Bibliografia:

Rotulagem Geral

  • Decreto-Lei nº 560/1999 de 18 de Dezembro
  • Decreto-Lei nº 156/2008 de 7 Agosto

Rotulagem Nutricional

  • Decreto-Lei nº 167/2004 de 7 de Julho
  • Decreto-Lei nº 54/2010 de 28 de Maio

Alegações Nutricionais e de Saúde

  • Regulamento (CE) 1924/2006 de 20 de Dezembro e a sua Retificação
Translate »