fbpx

Hoje trago a espetacular história da Vânia. Uma mensagem crítica neste feedback da Vânia que quero reforçar:

O PESO NÃO PASSA DE UM NÚMERO!

Como poderão ver no final, sem diferenças astronómicas de peso, o corpo não é de perto nem de longe o que alguma vez foi. Confia mais em ti, cria objetivos relacionados com o processo e deixa os resultados tomarem conta de si 😉


Procurei a Equipa após diversas tentativas de perder gordura falhadas associadas aos inúmeros acessos de fome emocional e gula, após tantas tentativas fizeram-me perceber que precisava de ajuda para conseguir ser bem sucedida.
Um dia uma grande amiga minha, que já fazia parte da Team, falou-me do método de trabalho e da grande dedicação que era aplicada aos casos… e aqui estou! ?

Já tinha tentado praticamente de tudo para perder peso, desde ginásios, a dietas em que só podia comer repolho cozido e beber chá verde durante o dia, quando li acerca da Sik Nutrition, achei que nunca iria perder massa gorda a comer tanto e com tanta variedade…  Não foi fácil mudar 30 anos de maus hábitos, e na altura pensei “ou vai ou racha”… E não é que foi mesmo? ?

Claro que nada disto seria o mesmo sem a minha maninha do coração que já pertencia a esta família e convenceu-me a tentar. Ela já estava a trabalhar com o Coach João há uns meses quando me deu a conhecer o conceito e decidi tentar uma última vez.

Quando foi a minha vez de entrar foi um misto logo de início de muito entusiasmada e céptica, (mais uma vez, aquela sensação de “não vou perder peso a comer tanto”), mas depois, com o passar das semanas, com o incrível apoio da família Sikiana, fui mudando o meu mindset. Até porque comecei um pouco na defensiva, não se fosse dar o caso de não resultar… assim a desilusão não seria tão grande…

“Apenas quero aprender a comer de forma saudável e perder uns quilinhos… Sem pressas…Não quero ser fit… Nem gosto de exercício nem de ginásios…”

Era tão tontinha… lol

E depois, ver a união que existe na Team, todos a rumar no mesmo sentido, a entre ajuda sem igual, além de ser uma grande motivação, ajuda a perceber que não estamos sozinhos nesta luta e eu tenho muito orgulho em pertencer a este grupo, esta família, cujo dia a dia é tornar o, seu e o dos que os acompanham nesta jornada, ‘hoje’ melhor do que o ‘ontem’.

As primeiras semanas foram um pouco complicadas… Tive muitas vezes aquele sentimento de culpa por achar que estava a comer demais ou errado… Mas fiz um esforço contrariar esta sensação e confiar no processo, de confiar no Coach de que não tinha de “sofrer” em vão, foi quando comecei a ver resultados.
Ao longo deste último ano, todos os passos dados foram falados abertamente e foram feitas “cedências” de ambas as partes e diga-se de passagem, se não fossem estas adaptações, as mudanças mais importantes possivelmente demorariam mais a chegar.

Por isso hoje digo de boca cheia: a minha maior mudança foi o mindset, sem sombra de dúvidas.

Tem sido um ano de muitos altos e baixos, com muitos resultados que não correspondiam ao meu esforço, muitas semanas em que só me apetecia desistir. Pensamentos recorrentes:

  • “Porque é que X perde peso com Y dieta e eu com Z não saio do mesmo?”;
  • “Se calhar tenho mesmo é que me conformar que nunca vou ter um corpo bonito, nunca vou ter massa muscular decente… vou ter excesso de peso a vida toda, do que serve o esforço?”

E foram estes “macaquinhos no sótão” em conjunto com algumas conversas com o Coach João que me ocorreu o seguinte:

“E se desistires? Todo o esforço destes últimos meses vão ao ar? Sempre que há algum sinal de dificuldade numa dieta, desistes sempre! Em vez de repetires o mesmo processo e esperar resultados diferentes, porque não, pela primeira vez, saíres fora da tua caixa do ‘não é a minha cena… não gosto.. não me apetece…”

Então decidi experimentar e fazer as coisas de forma diferente. Pode até levar tempo, mas o tempo vai sempre passar, estejas ou não estejas a fazer algo por ti, e daqui a um ou dois anos vais olhar para trás e vais pensar “porque é que desisti?” e vais voltar ao mesmo.

A verdade é que encontramos sempre uma desculpa para justificar a nossa apatia “não tenho tempo”, “não gosto”, “tenho uma vida social muito activa”, até que um dia faz-se luz e percebemos que temos que fazer algo para contrariar essa “rotina”.

É incrível a quantidade de mitos e falsas verdades que nos são incutidos durante toda a nossa vida… e tudo se torna mais fácil quando percebemos que todos somos diferentes, que não existem soluções milagrosas e que muitas das vezes a resolução dos nossos problemas não está em empurrar em frente com toda a força, mas sim dar um pequeno passo atrás, ajustar a rota e seguir caminho.

Não digo que alguma vez tenha tido vergonha de quem era porque sempre tive excesso de peso e ao longo dos anos aprendi a viver com isso… Mas evitava fotografias, praia, actividades que soubesse que não conseguiria fazer bem. O que mais me deixa com ressentimentos do meu ‘Eu’ de há uns anos, é a relação de amor-ódio que tinha com a comida…

Comia o que devia e o que não devia, e depois ficava a sentir-me com culpa… Depois eram dois ou três dias a comer não mais do que 500/600kcal por dia, para depois me dar outro acesso de gula e comer tudo o que havia em casa… Hoje em dia, sinto que estou a fazer o necessário que está ao meu alcance para melhorar, sinto-me mais leve em todos os aspectos, sem quaisquer sentimentos de culpa com a comida!
Ao contrário das tendências passadas, aprendi a gostar de treinar, para além de um treino semanal em casa, faço Crossfit duas vezes por semana, mas há aqui uma vontadinha de ir mais vezes e começar a competir, quem sabe… ?

Como referi atrás o caminho foi longe de ser perfeito, principalmente em jantares e festas… é rara a semana que não tenha pelo menos um jantar ou festa. Houve uma altura em que era um drama, houve muitos que cancelei por ter medo de não conseguir cumprir com o plano. Mas agora, sabendo bem quais as escolhas posso fazer, consigo conciliar bem as festas com a alimentação.

Hoje tenho perfeita noção que atingi um patamar que nunca esperei, tenho uma óptima relação com a comida e até já treino (outro milagre ?), e estas são todas pequenas vitórias…

Mas ainda tenho um longo percurso, que, felizmente se está a tornar mais fácil de manter devido ao grande apoio do Coach João, de todos os que fazem parte desta grande família e do meu marido, que há uns meses também se juntou à Team.

Eu sou a Vânia Santos tenho 32 anos, sou Enfermeira Veterinária, natural de Vila Franca de Xira, mas há 3 anos mudei-me para o Portimão. Nos meus tempos livres, que não são muitos, aproveito-os para treinar, estar com os amigos, beber uma cervejinha à beira mar…


 

 

 

 

 

 

 

A parte mais incrível deste processo, na minha opinião é sem dúvida a gigante mudança de mindset! Em vez de “fugir do que não sei fazer” para “vou aprender passo a passo o que quem sabe o faz usa”.

  • A Vânia aprendeu a treinar, de raiz em casa com material mínimo
  • Não tinha de comer de 3 em 3 horas (na maior parte dos dias somente tem apetite para 2-3 refeições por dia)
  • Como a própria diz, a comida pareceu-lhe sempre muita, o que não impediu de ganhar energia extra e perder gordura
  • Hoje inspira outros a seguir o mesmo caminho, como o caso do Marido que se juntou a nós e já conseguiu uma enorme transformação também!

Rodeia-te de pessoas que tenham percorrido o caminho, vive com elas, aprende com elas e melhor de tudo…

#descomplca

Translate »