INTRODUÇÃO

Hoje em dia já é sabido por todos os riscos associados ao tabaco.

Ainda assim já tentaste deixar de fumar e tiveste medo de engordar por causa do apetite?


Ou talvez alguém que conheces tenha passado por esta situação?


Então fica atenta ao artigo de hoje porque vamos analisar tudo o que sabemos sobre o tabaco.


TABACO, E SEUS COMPONENTES

O Cigarro é normalmente conhecido como um cilindro de folhas de tabaco que foi enrolado numa mortalha para ser fumado. A maioria dos cigarros atuais são produzidos em fábrica e incluem um filtro na ponta.[1]


A substância mais famosa no tabaco é a Nicotina, que é conhecida como extremamente viciante.


Na combustão do tabaco produzem-se milhares de substâncias que são transportadas pelo fumo até aos pulmões. Estas substâncias atuam principalmente sobre o aparelho respiratório, mas algumas delas são absorvidas passando para a corrente sanguínea a partir da qual atuam sobre o organismo.


As substâncias em maior quantidade no tabaco são:

  • Nicotina
  • Substância irritantes (acroleína, fenóis, peróxido de nitrogênio, ácido cianídrico,…)
  • Alcatrão
  • Monóxido de Carbono

Vamos separar estes diferentes componentes na nossa análise, pois existem indicações diferentes para cada elemento.

NICOTINA

A Nicotina é uma droga psicoativa responsável pela maior parte dos efeitos do tabaco sobre o organismo e responsável pela dependência física. 

A duração média da nicotina no sangue é inferior a 2 horas, se a sua concentração for reduzida aparecem os sintomas que alertam o fumador para a necessidade de um novo cigarro.

EXTRAS, ALÉM DA NICOTINA

Além da nicotina existem outros elementos presentes no tabaco.

O fumo do tabaco contém muitas substâncias irritantes como a acroleína, fenóis, peróxido de nitrogênio, ácido cianídrico, amoníaco que provocam a alteração dos mecanismos de defesa do pulmão e a contração dos brônquios.

Além destas substâncias o Alcatrão que é uma substância tóxica está presente no tabaco e contribui para neoplasias associadas ao seu consumo.

TABACO E PERFORMANCE

Existem alguns estudos curiosos sobre a utilização da Nicotina de forma isoladas (sem ser através do consumo de cigarros), que mostra potenciais para ser usada como ergogênico ao melhorar a performance.


Neste estudo [2], 5 mg de Nicotina melhoraram a performance anaeróbia em 16 atletas saudáveis, sem qualquer habituação à nicotina. (Obrigado Sérgio Fontinhas pela partilha do estudo)


No entanto, quando falamos de Cigarros e o teu objetivo é ganhar massa muscular há alguns estudos que apontam para maiores dificuldades. Entre os quais este estudo [7], que refere uma grande probabilidade de reduzir a Síntese Proteica Muscular em fumadores quando comparada com não fumadores.

TABACO E APETITE

Segundo este estudo [6] existem imensos outros estudos que relacionam o Peso Corporal e o Índice de Massa Corporal (IMC) entre fumadores e não fumadores.


Existem indícios de uma relação direta em que os fumadores têm um IMC mais baixo do que não fumadores.


Grande parte das conclusões associadas aos fumadores terem menos peso corporal do que não fumadores, é que o consumo de cigarros está associado a uma grande redução de apetite assim como possivelmente algumas ligeiras alterações no metabolismo.

TABACO E SAÚDE

Fumar é prejudicial para a saúde.  


A esperança de vida de um fumador é 14 anos de vida inferior à da restante população não fumadora. 


Cerca de metade dos fumadores morre de doenças relacionadas com o tabaco. 


Além dos perigos para a saúde, o consumo de cigarros está associado a problemas a terceiros (fumo passivo) e é uma das causas de incêndios florestais.


TABACO E CANCRO

Existem imensas provas e estudos a suportar a propensão ao desenvolvimento de cancro por causa do consumo de cigarros, entre o qual este estudo [3] que relaciona os carcinogênicos presentes no tabaco.


CONCLUSÃO

Um dos fenômenos mais conhecidos para quem tentou deixar de fumar é o ganho de peso, maioritariamente sob forma de gordura corporal.


Isto deve-se maioritariamente ao aumento do consumo de calorias e aos desejos na ausência do Cigarro.


Se bem que a Nicotina sozinha tem algumas propriedades cognitivas promissoras, e alguns estudo apontam para melhorias anaeróbias quando consumida. Nunca foi proposto que o consumo de Nicotina fosse feito através do consumo de cigarros.


Está comprovadíssimo por N estudos que os efeitos negativos para a saúde são muito maiores, do que qualquer impacto positivo proveniente do consumo do tabaco.


Algo também relacionado com o uso do cigarro é o efeito recompensa.


O Vício associado ao tabaco, cumpre alguns dos critérios básicos de um hábito:

  • Existe um Gatilho/Sinal (normalmente sobre forma de stress, algo visual, ou como forma de colmatar aborrecimento). É após o sinal que existe a “motivação” para proceder à ação seguinte de fuma
  • Existe um Comportamento/Ação, que é o acto de fumar
  • E por fim existe a Recompensa, obtida por todos os passos atrás. Normalmente a recompensa pode ser o facto de sair de uma situação aborrecida, desconfortável, ou para ter um momento de reflexão.

Desta forma, se pretendes deixar de fumar é bom pensares muito bem sobre o Hábito e como o podes mudar de forma que a transição seja mais fácil, e não troques a Ação de Fumar pela Ação de Comer, na procura da mesma Recompensa.


Se quiseres descobrir como o podes fazer podes usar a framework que expliquei neste vídeo: 

#descomplica

Coach João

BIBLIOGRAFIA

[1] https://pt.wikipedia.org/wiki/Cigarro

[2] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29453755

[3] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK53010/table/ch5.t1/?fbclid=IwAR3NPTp6HXzr2EiBhCu-8Lz3a5A7zOy0qSUr7Z_Iyda5TkfZZEsWNFRDXrE

[4] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22345227?fbclid=IwAR02zuyllN-Jcrv9lULLqNoBGIfHinnVmsBxbzUzxniS-_p6evgw-CR5YFc

[5] Estudos sobre a Nicotina: https://examine.com/supplements/nicotine/

[6] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3195407/

[7] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/17609255?fbclid=IwAR0Mo5q8ubziP_f2fRVzW77fOZpoXoUH6c0KvTLSNkXEJ-uNX_GocPeOBmc

Translate »