Mente sã em corpo são, correto? 

E será que a tua saúde mental afeta as tuas escolhas alimentares? 

Hoje vamos focar-nos na ligação biológica entre corpo e mente.

LIGAÇÃO CORPO E MENTE

Temos uma tendência gigante a separar o nosso corpo em dois:

  • Pensamos em fisiologia e como os nossos tendões, músculos, osso e por aí fora se movem
  • Pensamos em psicologia no fato de como funciona o nosso cérebro e como gerires os nossos pensamentos, emoções e percepções.

No entanto passa muitas vezes despercebido o facto que o nosso cérebro também tem a sua biologia e o que comemos, quando comemos e quando comemos pode afetar não só o cérebro mas também o corpo.

Um corpo saudável com um cérebro pouco saudável, não sabe o que fazer.

Um cérebro saudável com um corpo saudável… Bem dificilmente existe. (explicarei mais a frente porque digo isto)

NEUROTRANSMISSORES

O teu cérebro é composto por um cocktail gigante de “drogas naturais” que são produzidos por diversas situações, entre as quais aquilo que tu comes.

Se por exemplo tiveres níveis de açúcar muito baixos, o teu cérebro vai produzir mais cortisol e este mecanismo evolutivo vai permitir que te lembres de ir procurar algo para comer. É também a explicação “porque tu não és tu que quando tens fome” lol (matar saudades do anúncio original aqui https://youtu.be/VyGQJfp0lwg).

Ao contrário quando comes algo que gostas e sobe a quantidade de açúcar no sangue, vais libertar mais Serotonina e com isto sentir-te bem por teres comido.

Tudo isto explica também muitos dos comportamentos sobre a fome emocional, fome sob stress e porque te leva a procurar coisas calóricas e palatáveis.

Deixo uma tabela resumo de como os teus neurotransmissores podem afetar a tua saúde mental e os teus comportamentos:


SerotoninaDopaminaNoradrenalina 
VergonhaBaixaBaixaBaixa
SurpresaAltaBaixaAlta
PrazerAltaAltaBaixa

Sim, o que comes afeta os neurotransmissores, e eles afetam a tua percepção do mundo e a tua saúde mental.

BIOLOGIA CEREBRAL

O cérebro humano tem entre 2-5% do peso do teu corpo, e apesar de ser uma pequena percentagem do teu peso corporal consome cerca de 20-30% da energia diária que tu consomes!

A fonte primordial de energia do teu cérebro é a glucose, e explica porque é que quando fazes uma dieta baixa em hidratos os primeiros dias “nem consegues pensar”.

Algumas dietas super baixas em hidratos como a dieta cetogênica forçam o teu cérebro a utilizar corpos cetônicos em vez de glucose, e é um mecanismo de sobrevivência. Logo a longo prazo uma dieta que tenha alguns hidratos de carbonos complexos, pouco processados e nutricionalmente ricos são uma peça chave na tua saúde mental.

Se o cérebro consome tanta glucose, não seria bom comer açúcar às colheres?

Nem por isso e é aqui que entra o conceito de carga glicémica que te permite escolher melhor as tuas fontes de hidratos para uma libertação mais sustentada de glucose no sangue e consecutivamente no cérebro.

Clica para conhecer mais o que é a carga glicémica


DOENÇAS MENTAIS COMUNS

Antes de doenças mentais comuns quero deixar explícito… Excesso de peso não é só vaidade.

O excesso de peso está associado a pior circulação sanguínea e associado ao desenvolvimento precoce de Alzheimer. (podes ler mais aqui )

Algumas das “doenças mentais” mais comuns:

  • Défice de Atenção
    • Alto em Dopamina, Baixo em Serotonina, Baixo GABA
  • Ansiedade Crónica
    • Baixo GABA
  • Depressão
    • Baixa Dopamina
  • Dependências (drogas, álcool, jogo, etc)
    • Baixo em serotonina e dopamina
  • Compulsão alimentar
    • Baixo em serotonina e dopamina

Todas elas estão de alguma forma ligados aos neurotransmissores log ligados ao que comes!

Alguns passos que podem ajudar nestas doenças mentais comuns:

  • Défice de Atenção
    • Dieta mais alta em proteína, moderada a baixa em hidratos de carbono
  • Ansiedade Crónica
    • Dieta balanceada entre proteína, hidratos e gordura mas apostando fortemente no consumo de gorduras boas ricas em ômega 3 (podendo até suplementar o mesmo)
  • Depressão
    • Dieta balanceada entre proteína, hidratos e gordura mas apostando fortemente no exercício físico para aumentar os níveis de dopamina
  • Dependências (drogas, álcool, jogo, etc)
    • Meditação, e inclusão de uma mudança de estilo de vida que inclua mais exercício físico (dopamina) e que seja equilibrada entre hidratos/proteína para garantir níveis estáveis de Serotonina
  • Compulsão alimentar
    • Meditação, e inclusão de uma mudança de estilo de vida que inclua mais exercício físico (dopamina) e que seja equilibrada entre hidratos/proteína para garantir níveis estáveis de Serotonina

CONCLUSÃO

Podia alongar-me mais, e quase escrever um livro sobre tudo o que tenho aprendido sobre o poder na mente em tudo o que fazemos na vida.

Mas espero que com o artigo de hoje entendas o poder que tem tudo aquilo que comes, na forma como te sentes e quão boa é a tua saúde mental.

Espero que te ajude a pensar nos próximos passos e não te esqueças,

descomplica.

João G.

Translate »