Treinar pode deixar-te mais novo?

Treinar pode deixar-te mais novo?

O exercício é uma peça fundamental e um dos hábitos mais importantes para quem mantem um peso saudável e uma performance diária de excelência.

Mas será que também ajuda a deixar-nos mais novos?

Esta semana celebramos o dia da criança, e também tu podes manter viva a criança dentro de ti.

Vamos falar de vários fatores que te podem ajudar a manter nos teus vintes para sempre, incluindo treino e algumas surpresas extra.

PESO SAUDÁVEL

Antes de começar pelo treino é muito importante entender que uma das formas de te manteres jovem e saudável, é ter um peso adequado à tua altura.

É verdade que não existem números absolutos e #queselixeopadrão, mas saber que as tuas medidas de cintura pelo menos estão dentro do recomendado pela organização mundial de saúde (WHO) de forma a saber que estás num padrão equilibrado.

Excesso de peso não só te deixará com mais idade, como alguns estudos mostram que pode levar a tornar-te menos inteligente também…

Mais de metade das doenças crónicas (problemas de coração, hipertensão arterial, diabetes, alzheimer) podem ser prevenidas ou controladas com um estilo de vida mais saudável e peso corporal adequado.

Desta forma o treino pode também ser uma forma de te ajudar a manter bons hábitos e um peso saudável mas nunca ignores o poder da nutrição. 

Se precisas de ajuda a comer melhor temos um mini-curso grátis de 7 dias para aprenderes tudo o que precisas.

Clica aqui e recebe a tua oferta.

PÕE-TE A MEXER

Os benefícios de ser fisicamente ativo são enormes:

  • Melhor saúde cardiovascular
  • Reduzir o risco de cancro e diabetes
  • Melhorias na gestão de stress e controlo dos níveis de cortisol
  • Maior longevidade

Se dares uma espreitadela neste estudo1 uma breve análise sobre os indivíduos que realizaram pelo menos 15 minutos de exercício de intensidade moderada todos os dias viveram em média mais 3 anos.

Mais importante do que a atividade escolhida é mexeres-te no dia a dia.

GERE O TEU STRESS

Existe outro tipo de treino… O de controlar os stressores da tua vida!

Apesar de muita gente hoje em dia já comer bem e fazer exercício, observamos na nossa equipa que muitas pessoas negligenciam os efeitos do stress na sua saúde e na capacidade de se manterem jovens.

Existem alguns estudos que mostram que o uso da Meditação está associado a níveis mais baixos de stress e a uma menor mortalidade causada por doenças geradas pelo stress.

Se queres manter-te jovem e não consegues evitar TODO o stress, descobre técnicas de relaxamento que te ajudem a manter o foco em viver o presente.

O TREINO DA MENTE

Eu sei que esperavas ver mais coisas sobre músculos e que o cérebro não é de todo um músculo…

Mas como High Performance Coach, e conhecido por falar tanto em hábitos e mindset em Portugal, não podia saltar esta que é uma das peças mais importante.

Se queres manter-te jovem e evitar uma das doenças mais assustadoras (Alzheimer) deves treinar e usar o teu cérebro para reduzires as probabilidades.

Existem alguns estudos que mostram que aprender coisas novas, de formas diferentes, leva sangue a sítios diferentes do cérebro, e crias novas ligações neurais.

E de que te adianta um corpo de jovem com um cérebro em processo de fim de vida? 

Mas vamos ao estudo mais curioso…

A IDADE É TAMBÉM UM MINDSET

Neste estudo2 em 1981, foram escolhidos 8 homens na casa dos 70 anos para passarem 5 dias dentro de Mosteiro em Inglaterra.

Como a idade indicava apresentavam algumas mazelas, alguns até traziam canadianas…

Mas assim que entraram no mosteiro existiu uma viagem no tempo!

Um rádio todo vintage, televisão a preto e branco, livros nas prateleiras que remontavam a 1959…

Este era um estudo radical da psicóloga chamada Ellen Langer.

A psicologista queria que eles viajassem no tempo 22 anos ao passarem 5 dias neste mosteiro.

Todos os 8 envolvidos no estudo tinham boa saúde.

E este estudo aconteceu em 1981 (eu e tu provavelmente não eramos sequer nascidos lol) logo nesta altura 75 anos pareciam uma idade muito velha para se viver.

Todos foram testados antes de entrar: destreza, preensão, flexibilidade, audição e visão, memória e capacidade cognitiva.

A previsão da psicóloga é que algumas coisas mudassem no fim dos 5 dias.

Foi-lhes pedido somente uma coisa: finjam mesmo estar a viver numa era de há 22 anos atrás (todo o teatro montado ajudava nesta simulação!).

Não existiam espelhos, não haviam roupas modernas, não existiam fotos exceptos deles muito mais novos, e parecia mesmo ser tudo 22 anos mais novo.

No final dos 5 dias todos os homens foram testados e os resultados:

  • Mais destreza
  • Melhorias na visão
  • Melhor postura
  • E algumas pessoas diziam que pareciam visualmente mais novos (não está provado, mas…)

Dá que pensar não dá?

CONCLUSÃO

Se queres manter-te jovem e viver a vida “numa boa” em jeito de resumo:

  1. Mantém um peso saudável
  2. Mexe-te, o teu corpo foi feito para isso mesmo
  3. Atenção ao stress excessivo
  4. Treina a tua mente
  5. Ajusta o teu mindset para te veres jovem

E cuida de ti.

Deixo-te um vídeo que pode dar-te uma perspetiva porque é tão importante veres-te jovem…


E não te esqueças,

descomplica.

João Gonçalves


BIBLIOGRAFIA

[1] – Wen CP, Wai JP, Tsai MK, et al. Minimum amount of physical activity for reduced mortality and extended life expectancy: a prospective cohort study. Lancet. 

[2] – Aging as a mindset 

[3] – Aging counterclockwise

Como posso fazer dieta e continuar a comer o que gosto?

Como posso fazer dieta e continuar a comer o que gosto?

Será possível fazer “dieta” e comer um chocolatinho por dia?

Será que tens de deixar de comer as comidas que mais gostes e viver na “prisão” dos brócolos e peito de frango?

Hoje vamos falar o que é que significa ser realmente flexível na tua nutrição. Esquecer as dietas restritas e super rígidas e encontrar uma forma de comer que tu gostes e que seja possível seguires a longo prazo.

A REGRA DOS 80/20

Vou apresentar uma regra que eu gosto imenso, e provavelmente já me ouviste falar, que é a regra dos 80/20.

No fundo se manifestam em várias partes da tua vida, e não preciso me alongar muito, mas pensa que 80 por cento da riqueza tem 20 por cento das famílias, que a Terra tem 80 por cento mar/20 por cento terra…

E como é que tu aplicas esta regra dos 80/20 na tua nutrição?

Pensa que 80 por cento da tua nutrição tem que ser alimentos bons, alimentos saudáveis, nutricionalmente ricos e 20 por cento podem ser alimentos altamente divertidos.

Mas eu vou levar a regra ao próximo nível. Para ser um bocadinho mais fácil para ti, em vez de ser 80/20 vamos transformar esta regra na regra dos 90/10:

  • 90 por cento da tua alimentação vai ser nuticionalmente rica
  • e 10 por cento muito divertida.

E porque é que isto é importante para ti?

Principalmente se estás numa fase onde o teu objetivo é perder gordura é mais fácil garantir que tens 90 por cento dos alimentos altamente nutritivos e altamente saciantes, para ser mais fácil fazeres dieta para conseguires atingir os teus resultados com muito mais prazer e durabilidade.

Os outros 10 por cento podem ser coisas que tu realmente gostas muito de comer e é possível fazeres isto, ter saúde, perder gordura e atingir os teus objetivos.

O PENDULO DA FLEXIBILIDADE

Nós chamamos na Sik Nutrition do Pêndulo da Flexibilidade.

E o Pêndulo da Flexibilidade permite usar uma regra dos 90/10 ou dos 80/20.

Imagina que estás numa fase onde estás extremamente focada para perder gordura.

Se calhar 10 por cento do ter aporte diário é suficiente para teres uma indulgência, uma coisa que é mesmo boa, todos os dias e os outros 90 por cento comida de verdade, comida boa e nutricionalmente rica.

Quando estiveres numa fase de manutenção ou numa fase onde queiras estar a ganhar peso ou a ganhar massa muscular aí, se calhar, podes fazer uma regra dos 80/20.

Porquê?

80 por cento já vai cobrir todas as tuas necessidades a nível de vitaminas e minerais e os outros 20 por cento é para te divertires.

APLICAÇÃO PRÁTICA

Então, é possível comeres um docinho todos os dias? É.

E é muito mais fixe ter uma dieta onde tu podes comer um docinho todos os dias, perder gordura e ter todo o prazer naquilo que comes.

Então imaginemos que tu precisavas de duas mil calorias por dia.

Dessas duas mil, 90 por cento alimentos bons, nutricionalmente ricos: as proteínas, os vegetais, os hidratos, as frutas.

O que é que é 90 por cento de duas mil calorias? 1800 calorias.

Então se tu precisavas de duas mil e 1800 já foram gastas em boa comida sobram-te 200. Essas 200 são para te divertires todos os dias.

Vou sublinhar novamente, todos os dias.

E 200 calorias pode ser o quê? Por exemplo um Snickers.

Imagina que tu gostas de comer um Snickers todos os dias e que aquela é a tua indulgência diária. Tu podes.

Não estás a furar a dieta. Tu podes.

E é isto que é importante: saber que podes comer um miminho todos os dias e mantém-te focado em ter 10 por cento para comer uma coisa que gosto e os outros 90 por cento aquilo que eu realmente preciso.

CONCLUSÃO

Isto é ou não é um descomplica na tua nutrição? De que forma é que tu costumas inserir aqueles alimentos que tu mais gostas na tua alimentação do dia a dia?

Ainda fazes “dias do lixo”, as “cheat meals” ou o que for?

Eu gostava que partilhasses comigo para saber um bocadinho melhor se não achas que esta abordagem de ter um miminho todos os dias é muito mais sustentável a longo prazo.

E não te esqueças, descomplica.

João Gonçalves

PS: Se gostaste deste artigo partilha com alguém que gostes muito, e se preferires aceder a este conteúdo no nosso Youtube (assim como outros semelhantes) confirma também, já agora, se subscreveste o canal aqui por baixo e ativa as notificações para receberes sempre a notificação de todos os vídeos novos que saem no canal.

A Raquel sabia que ia ficar tudo bem

A Raquel sabia que ia ficar tudo bem

A Raquel passava um processo de auto-descoberta quando nos conheceu, e por isso decidiu partilhar a sua história incrível.

Alguém com uma vida tão ativa (Enfermeira) e com trabalho por turnos, conseguiu provar a si mesma o poder da mente, da preseverança e resiliência. A Raque conta-nos tudo já a seguir.


O meu nome é Raquel Guimarães e sou Enfermeira desde 2010.

Nascida em 1986, hoje encontro-me com 34 anos e mais jovem que nunca.

Sou Portuguesa de Gema, criada e educada entre campos verdes, e diversas actividades multidisciplinares – música, dança… velhos tempos o quanto sinto falta!

Em 2015 a soma de factores pessoais, laborais e sociais impulsinou-me numa atípica aventura – Emigração.

Rescindi o meu contrato efectivo num hospital central e reinicei a minha vida num calhau no Canal da Mancha – Guernsey.

Em 2018 decidi arriscar o rochedo vizinho – Jersey, ilha maior, mais desenvolvida, maior diversidade de casos cirúrgicos.

Entre altos e baixos consegui manter uma ligação activa com o desporto, bem como uma adequada gestão nutricional.

Tive experiência com duas entidades online, mas foi em 2018 que através de uma amiga – Elisabete Silva tive o conhecimento da Team Sik Nutrition.

Tive a oportunidade de acompanhar a sua incrível evolução e transformação pós-parto.

Tendo consciência da minha estagnação a nível de treino, instabilidade emocional à data e algumas alterações fisiológicas – ovários poliquisticos, decidi entrar em contacto com a Team – o primeiro passo para a grande e irreversível mudança.

O facto que mais me cativou neste protocolo foi o equilibrio entre os pilares de base deste processo.

  • Acompanhamento online diversificado;
  • Disponibilidade quase imediata por parte dos coachs,
  • Conhecimento científico diversificado, estruturado e fundamentado;
  • Planos de treino personalizado;

Um amplo e versátil arsenal que permitiu/permite um excelente trabalho em equipa no qual sempre foi prioridade a liberdade de escolha, tomada de decisão, independência, bem como gestão individual e personalizada – um protocolo único adequado a mim, as minhas rotinas, necessidades e gostos pessoais.

Interessante, inovador e cativante. Um processo gradual, evolutivo e cumulativo, sempre acompanhado por uma equipa multidisciplinar fantástica.

Mais do que um conjunto de ferramentas individualizadas que me permitiram aprimorar conhecimentos, cimentar hábitos e rotinas foi o estímulo para o auto-conhecimento – Mindset, que despletou a maior e mais importante transformação.

Iniciei o 1°protocolo na procura de um novo foco, uma mudança, um novo estímulo, uma nova ocupação, baseada em metas superficiais e visuais sob estímulos menos positivos…

Presentemente, após 18 meses com a Sik Nutrition, tenho como principal objectivo o meu equilibrio individual, desenvolvimento e fortalecimento do meu auto-conhecimento.

Uma árvore apenas consegue crescer e despoletar a sua flor após desenvolver primeiramente fortes e sólidas raízes, as quais necessitam de tempo, dedicação e nutrição ideiais, não menosprezando o papel dos dias cinzentos e chuvosos que têm a sua importante contribuição no processo de crescimento.

Actualmente  mantenho os meus hábitos, rotinas e bases adquiridas desde o 1°Protocolo, mas o objectivo presente que visualizo tem um amplitude diferente – o meu ser no seu todo.

Se iniciei com focos pessoais de referência como os números da balança ou aquelas pregas corporais que indicavam a evolução da % de gordura corporal…

Hoje os meus focos são o meu fortalecimento mental, as metas que consigo alcançar no ginásio, o gosto pelo yoga e taichi que descobri neste período, o prazer de correr trail apenas por desafio pessoal – adrenalina, ou até mesmo um bom momento de box – pelo que parece até nao me safo muito mal – Adoro!!!

Nao tenho vergonha de quem me tornei quando emigrei, mas tenho um orgulho enorme na pessoa que me estou a tornar.

O crescimento pessoal não é um processo a termo mas sim eterno e em constante renovação.

Só conseguiremos manter o nosso equilíbrio pessoal quando aceitarmos e permitirmo-nos conhecer os nossos extremos.

Sem ação não existe mudança, mas muitas das nossas acções são precedidas de pequenas e espontâneas palavras oferecidas por um amigo… Lidas num livro… Uma partilha num momento certo…

Não posso terminar este testemunho sem demonstrar o meu enorme reconhecimento á Elizabete Silva, amiga, colega, minha impulsionadora nesta grande mudança. Eternamente grata por num momento espontâneo teres partilhado comigo a tua experiência e me teres mostrado o caminho para a minha grande mudança.

O meio pelo qual nos permitimos envolver é o maior incintador dos nossos actos… Ouvimos… Partilhamos… Sem dúvida este caminho tem sido único e execional por se encontrar decorado e orientado pela experiência e conhecimento desta equipa fantástica.

Eternamente grata aos coachs Mário Oliveira, João Gonçalves e Tânia com os quais tenho contacto mais direto, restantes membros da equipa pelo fantástico trabalho.

A todos os membros que participam nesta equipa, pelas partilhas de experiência, conhecimento e apoio incondicional!

Cabe a cada um de nós percorrer o nosso caminho, mas este torna-se único quando orientado e apoiado pelo conhecimento, experiência e companheirismo.

A partilha é talvez a ação mais fulcral na sobrevivência, desenvolvimento e crescimento do ser humano.

Obrigado por tudo.


Raquel toda a equipa está sem palavras! Um testemunho verdadeiro, profundo e rico de alguém que hoje domina a sua vida, num todo.

Coach João e Coach Mário,

descomplica.

Vou Perder Os Músculos Se Não Treinar No Ginásio?

Vou Perder Os Músculos Se Não Treinar No Ginásio?

INTRODUÇÃO

Períodos complicados como o que passamos com a pandemia, levam a mudanças gigantes na rotina diária.

Sem acesso a ginásio, com a maioria das pessoas com muito pouco material de treino em casa…

Será que vou perder tudo o que ganhei nos últimos meses?

Esta é uma das perguntas mais frequentes, mas vamos analisar se é verdade.

DOSE MÍNIMA PARA TE MANTER GOSTINHA (OU BOMBADÃO)

Se te viste nesta “prisão domiciliária” sem acesso ao teu querido ginásio…

#estamosjuntos lol

Veres o teu corpo que estava a mudar com os treinos que fazes, e de repente a ausência total de estímulo…

Depois pensando que o verão está à porta, e que o timing não poderia ser pior…

Mas o Mito de que perdemos massa muscular se não treinares no ginásio é isso mesmo, um Mito.

Não precisas de te preocupar, porque na verdade não perdes massa muscular assim tão rapidamente. 

Sem qualquer tipo de estímulo (o treino) demora entre 2-6 semanas1,2,3,4 a ocorrer perdas de tecido muscular. Mas como irás continuar a treinar, vais ter estímulo suficiente para reter massa muscular. 

No entanto os princípios de treinos continuam a ser os mesmos e é fulcral a Sobrecarga Progressiva

Se o teu objetivo é reter/aumentar massa muscular deves ser consistente no teu treino e não andares a fazer todos os treinos que vês no Instagram… 

Fazer só “pulinhos” também não irá ajudar, porque estes exercícios podem aumentar a frequência cardíaca mas não oferecem estímulo suficiente para ocorrer hipertrofia.

(hipertrofia é o que ajuda a ter aqueles abdominais salientes e um bumbum de fazer inveja 😉 ) 

Por outro lado, se só queres estar minimamente ativo durante este período aí já não tem problema nenhum e desde que te mexas está tudo bem 🙂

TREINAR POUCO, NÃO É TREINAR NADA

Há dias falava com algumas pessoas que me diziam…

“Desde que começou a quarentena nem os treinos em casa tenho feito… sinto-me totalmente desmotivada.

Não é o mesmo que ir ao ginásio por isso nem tenho feito.”


E eu reforcei, algo é sempre mais do que nada.

E como os estudos anteriores mostram, é preciso ALGUM estímulo para conseguir manter os teus ganhos musculares. 

E ausência de treino pode levar a regressão e perdas musculares.

Temos evidência a comprovar que séries realizadas a 30% da Repetição Máxima (cerca de 40 repetições num exercício) são tão eficazes como séries de 6-12 repetições, desde que sejam realizadas até muito próximo da falha muscular, ou seja, chegares ao ponto que não daria para fazer nem mais uma repetição5,6.


Por isso se achas que treinar em casa “serve de pouco”, é uma forma de o teu cérebro procrastinar.


Vai exigir uma grande mudança de mindset se queres manter tudo aquilo que tanto trabalho te deu a ganhar.

A NUTRIÇÃO E OBJETIVOS PODEM SER REVISTOS…

Na nutrição e objetivos de composição corporal também pode ser interessante rever alguns pontos.


Se bem que é possível manter grande parte dos teus ganhos treinando em casa, com treinos que usem o material disponível e que usem a Sobrecarga Progressiva, é preciso ter atenção aos “riscos em jogo”.


Se estavas numa fase de perda de gordura, e paraste de treinar totalmente… Os riscos de perder músculo são ainda MAIORES.


Se não tiveres uma data urgente (como uma prova de culto de corpo, ou uma sessão fotográfica, ou evento que obrigue a resultados a nível físico) a nossa recomendação seria estares nesta fase em manutenção.

E porquê?

  • Estar em excedente de calorias (dieta hipercalórica), cria um ambiente mais propício ao ganho de peso e massa muscular, mas se não existir estímulo suficiente no treino os ganhos serão reduzidos
  • Estar em défice de calorias  (dieta hipocalórica), cria um ambiente mais propício à perda de peso e gordura, mas se não existir estímulo suficiente no treino as perdas de massa muscular podem ser grandes

PLANO DE AÇÃO

A nossa melhor recomendação neste momento é:

  1. Não pares de treinar totalmente
  2. Tenta manter pelo menos a frequência de treinos que fazias antes da pandemia, possivelmente até aumentar a frequência se conseguires
  3. Se não tiveres muito equipamento disponível aposta em treinos ao género Corpo Todo (Fullbody) para estimulares os mesmos grupos musculares com mais frequência
    1. Lê mais sobre como adaptar material de treino neste Artigo do Coach Mário
  4. Evita teres grandes défices ou excedentes nutricionais nesta fase, e assim que tenhas acesso a mais equipamento ou ginásio, ajustas o teus objetivos de composição corporal

Estas estratégias não se aplicam só na pandemia…

Sempre que tens viagens de trabalho ou férias, podes utilizar estas estratégias para teres os melhores resultados.


Espero que te ajude a manter o foco e evitar que percas todos os resultados suados ao longo dos últimos meses.

E não te esqueças,

#descomplica

João Gonçalves

PS: lançamos há 2 dias o nosso Canal no spotify para que possas ouvir alguns dos áudios que te podem ajudar a ter mais e melhores resultados 🙂 clica no link abaixo e segue-nos para mais novidades exclusivas.

BIBLIOGRAFIA

  1. https://www.researchgate.net/publication/259390281_Evidence-Based_Resistance_Training_Recommendations_for_Muscular_Hypertrophy
  2. https://www.frontiersin.org/articles/10.3389/fphys.2018.00744/full
  3. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/27358494/
  4. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19996769/
  5. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28834797
  6. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/31895290
O que acontece ao metabolismo quando faço dieta?

O que acontece ao metabolismo quando faço dieta?

INTRODUÇÃO

Será que o meu metabolismo está estragado?

Esta pergunta chega-nos com uma grande frequência. E hoje, finalmente, revelamos tudo o que precisavas de saber!

Para que saibas o que podes esperar de todas as fases ao longo desta “maratona” que é transformar o teu corpo.


O QUE É O “METABOLISMO”?

Para compreenderes um pouco melhor as adaptações que ocorrem ao longo da perda de peso é necessário entendermos o que é o Metabolismo. 

A maioria das pessoas assume que o metabolismo é algo estanque que nasce contigo… como se fosse uma herança genética que nunca mais vai mudar!

Isto acontece porque assumem que o Metabolismo refere-se apenas à Taxa Metabólica Basal (TMB) ou Dispêndio Energético em Repouso (REE), que são calorias que o teu corpo “queima” em repouso para manter as funções vitais. 

No entanto o Metabolismo é mais do que isso, temos ainda a o Dispêndio Energético da Actividade Física (AEE) e também o Efeito Térmico dos Alimentos (TEF) (podes ler um pouco mais sobre isto noutro artigo feito por nós https://www.teamsiknutrition.com/2016/02/24/a-piramide-do-metabolismo/):

  • Dispêndio Energético em Repouso

São as calorias gastas para manter as funções vitais, como respirar ou manter o coração a bombear. 

Os órgãos internos são os que mais contribuem para este gasto calórico e ao contrário do que se pensa a Massa Muscular não é uma “fornalha calórica”, sendo apenas 6 kcal por cada 450g Massa Muscular. Este valor está diretamente associado ao peso corporal, composição corporal, género, idade e genética. Inevitavelmente, de um modo geral, um corpo maior tem um Dispêndio Calórico maior. (por isso os mais gordinhos que acham que queimam menos por isso.., não é verdade! lol)

  • Dispêndio Energético em Atividade

Estas são as calorias que gastamos durante a actividade física, inclusive o “fidgeting” (movimentos involuntários – sabes aquelas pessoas que estão sempre a tremer a perna sentados, como se estivessem a tocar bateria? É isso!), estar em pé ou subir escadas. Podemos dividir este dispêndio em duas componentes:

  1. Dispêndio durante o Exercício

Aqui incluímos todas as actividades estruturadas e planeadas, como ir ao ginásio ou andar de bicicleta.

  1. NEAT (Termogênese da Atividade Sem Exercício)

Este é o gasto calórico em todas as actividades não planeadas, tal como“fidgeting” ou andares pela sala enquanto falas ao telemóvel. A maioria do gasto calórico em Atividade vem do NEAT e que pode variar imenso de individuo para individuo. Sendo uma das explicações para ouvirmos que algumas pessoas parecem ter um Metabolismo “muito rápido”. 

  • Efeito Térmico dos Alimentos

Para alguns poderá ser uma surpresa, mas sim, também queimamos calorias enquanto comemos. 

A digestão é um processo metabólico ativo (quem nunca sentiu calores ou suores, após uma refeição grande, normalmente após grandes quantidades de proteína?). Este fator de TEF representa cerca de 5-10% do nosso dispêndio calórico diário.

O QUE ACONTECE ENQUANTO PERCO PESO?

À medida que vais perdendo peso uma adaptação normal de acontecer é o aumento da fome, devido a alterações em algumas hormonas (grelina e leptina). 

Este aumento do apetite é uma forma que o corpo tem de tentar voltar ao balanço energético anterior, o que torna difícil o processo de perda de peso, principalmente se as opções alimentares não forem as melhores. 

Com mais fome a nossa tendência é comer mais, começamos a petiscar aqueles frutos secos na cozinha sem sequer nos lembrarmos ou a meter um pouco mais de manteiga de amendoim nas panquecas que o habitual. 

A verdade é que somos maus a contabilizar aquilo que comemos e com a fome só piora.

Temos vários estudos a comprovar este facto e chegam a haver erros de 150 a 1000kcal por dia! Agora imagina quando vais comer fora… aquele sushi que achavas que eram só 400kcal, o mais provável é estar próximo das 1000kcal. 

Isto não é exclusivo para pessoas “normais”, mesmo nutricionistas/dietistas chegam a falhar em 223 kcal por dia e lidam com esta temática diariamente. 

(ninguém está safo lol)

Por estas razões quando achas que estás a comer muito pouco, tão pouco que não chegas às 1000kcal por dia, o mais provável é não estares a contabilizar bem. Sei que é duro de se ouvir, mas é importante para estares mais atenta e consciente do que pode estar a correr menos bem.

Ver mais sobre um estudo real:

https://www.youtube.com/watch?v=KA9AdlhB18o

 

SERÁ QUE O MEU METABOLISMO SE ESTRAGOU?

É fácil culparmos o Metabolismo Basal para não perdermos peso… realmente há uma ligeira redução, mas que é relativamente baixa. A grande redução de dispêndio energético advém da redução da atividade física. 

Mas como, se continuei a treinar exatamente o mesmo?” – Verdade, mas e o NEAT? 

O exercício é uma escolha consciente, enquanto que o NEAT é atividade espontânea e inconscientemente baixa quando comemos menos. 

Nunca sentiste aquela moleza durante um longo período de dieta, ao ponto de estares deitada no sofá e nem apetecer levantar para ir buscar o comando? 

Cenários semelhantes vão acontecer ao longo do dia sem sequer te aperceberes e baixar significativamente o teu dispêndio energético diário. 

Esta redução pode chegar a ser de 500-600kcal por dia, por isso o NEAT conta mesmo muito e também explica porque duas pessoas exatamente com a mesma composição corporal podem ter ingestões calóricas totalmente diferentes. Se uma trabalha em pé o dia todo e a outra sentada, podem ter uma diferença de 400-700kcal de gasto energético. 

Algumas estratégias para aumentares o NEAT:

  • Usa uma App ou Banda para monitorizar os teus passos diários e foca-te em alcançar uma meta. Os 7500 passos são um bom ponto de partida;
  • Se trabalhas o dia todo sentado, vai fazendo pausas para te levantares a cada hora;
  • Usa mais as escadas;
  • Se vais de transportes públicos para o trabalho, sai numa estação anterior e anda o resto;
  • Quando falares ao telemóvel anda enquanto o fazes;
  • Planeia mais atividades físicas, como caminhadas em trilhos ou futeboladas.

O QUE ACONTECE NA VERDADE

Para perder peso/gordura tens que ter um balanço energético negativo, ou seja, estar em défice calórico. 

Já deves ter ouvido a expressão de ficar com o “Metabolismo Estragado” ou “Danos Metabólicos”, mas que não é propriamente verdade. 

Na realidade vamos ter adaptações que são normais ao longo do processo, havendo oscilações para cima ou para baixo. Uma delas deve-se à própria redução do peso corporal. 

Parece estranho não é? Mas vamos relembrar o que falámos acima, se há uma associação entre o Metabolismo de Repouso e o Peso Corporal, é normal que este baixe à medida que perdes gordura (e peso). 

O teu corpo vai precisar de menos energia em repouso e também gastar menos calorias a realizar as atividades do dia-a-dia, assim como nos treinos (assumindo que a intensidade é a mesma, porque as calorias gastas também dependem uma boa parte do peso corporal). 

Por isso é perfeitamente normal teres que ajustar a tua ingestão calórica ao longo do processo, visto que o balanço energético negativo vai sendo cada vez menor. 

Vamos imaginar um exemplo:

  • Ingeres atualmente 1700kcal 
  • Estavas com um défice calórico de 300kcal
  • Mas perdeste 3 kg e foram ocorrendo estas adaptações e o teu défice passou a ser na verdade somente de 150kcal (estes números são totalmente hipotéticos). 

Esta é a razão porque parece que fica mais difícil perder gordura.

A verdade é que não é o metabolismo que está estragado, infelizmente temos mesmo que comer menos calorias ou aumentar o dispêndio energético pela ativada ou uma combinação dos dois para continuares a perder gordura.

PASSOS SEGUINTES

Como falamos há pouco é quase inevitável que ao longo do processo existam adaptações de diferentes formas:

  • Quer pela redução do metabolismo basal (tens uma massa corporal mais baixa)
  • Quer seja pela redução das tuas atividades não planeadas (NEAT)
  • Ou pelas dentadinhas que comes sem pensar no assunto… (essas calorias existem na mesma)

A única forma de continuar a perder seria baixar calorias!

Mas será possível continuar a baixar calorias, para sempre?

É aqui que entram estratégias mais avançadas como ensinámos no Revolution Diet™ workshop.

Aprender a planear momentos de manutenção darão ao teu corpo e mente algum alívio extra que te permite recuperar para novas fases de progresso.

A isto chama-se Diet Break.

Diet Break não é mais do que voltares a comer as tuas calorias de manutenção, ou seja comeres o suficiente para manter a tua massa corporal estável (uma dieta para manter).

Nessa abordagem de Diet Break deves adicionar lentamente calorias sob a forma de gordura e de hidratos de carbono, semanalmente, à volta das 250 a 500kcal que representam cerca de 15 a 30g de gordura e 25 a 50g de hidratos. 

Se gostas de coisas mais visuais… Imagina pegar na tua DIETA NORMAL para perda de gordura que deixou de funcionar e adicionar-lhe:

  • 1 colher de sopa de azeite extra por dia
  • 1 peça de fruta média por dia (1 maçã ou 1 banana por exemplo)

Uma Diet Break deve durar entre 3 a 12 semanas, para atingires os efeitos positivos que pretendes. 

Normalmente, a duração da Diet Break é proporcional ao tempo que estiveste anteriormente em dieta para perda de peso. 

Ou seja, se estiveste numa dieta de muitas semanas, prepara-te para estar pelo menos 2 meses em Diet Break. Da mesma forma que, se a tua dieta para perda de peso durou até cerca de 10 a 12 semanas é suficiente implementar 2 a 3 semanas de manutenção/break no final dessas 10 a 12 semanas.

Se gostavas de saber mais podes ver este vídeo (deixa o teu like, e subscreve o canal :D)

CONCLUSÃO

Gostava de suportar a desculpa do “metabolismo estragado” para não perderes peso… 

Infelizmente é mais uma falácia que promete muito, promete uma escapatória a pensar nas coisas de forma racional e metódica.

No fim deste artigo sabes que:

  • Ao perder peso “queimas menos”
  • Tendes a mexer-te menos…
  • Tens mais apetite
  • Não consegues continuar a menos e tens de planear fases de “recuperação”

Ainda acrescento algo para refletires… É por tudo isto que começar uma dieta SUPER RESTRITIVA vai deixar de funcionar em poucas semanas e ficas sem trunfos para fazer algo que funcione a longo prazo. 

A não ser que só queiras perder 500g a 1 quilo… Precisas de algo mais sustentável 😉

Foi exactamente o que ensinamos no Workshop Revolution Diet™, se gostavas de aprender TUDO para ter um estilo de vida incrível, comer um chocolatinho e pão todos os dias, e perder 4-10 quilos em tempo recorde… 

Envia-nos email que podemos tentar dar-te acesso a parte do programa gravado 😉

Descomplica,

Coach João e Coach Mário 

BIBLIOGRAFIA

  1. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/9688626
  2. https://www.precisionnutrition.com/reverse-dieting?fbclid=IwAR29SQs8A0i8uSFoQuyojWUByZ36ol-_27br3yWeNiKTV_aOYBAXMrIH0Ng
  3. https://www.precisionnutrition.com/rates-of-fat-loss-and-muscle-gain?fbclid=IwAR2C-0bxNgGiZQAbegXeOP22fCUPLeNTzwRwwsfMegWG6HoJa89UJJ3FdsU
  4. https://weightology.net/why-is-it-so-easy-to-regain-weight/comment-page-1/
  5. https://physiqonomics.com/slow-metabolism/
Translate »