Jejum Intermitente e Todos os Segredos

Jejum Intermitente e Todos os Segredos

JEJUM INTERMITENTE – Tudo o que precisas de saber!⁣

Depois desta semana termos falado sobre tantos feedbacks sobre as experiências no jejum intermitente…⁣

De ter recebido mais de 10 mensagens a partilhar ideias comigo em privado… vi que há imensos mitos ainda!⁣

Então vamos partilhar esta semana uma Masterclass 100% dedicada ao jejum intermitente.⁣

Vai incluir entre os quais:⁣

  • Será que estás a meter a pata na poça a saltar o pequeno almoço? (e como é que a Rute mudou a janela de jejum dela para acabar com a fome, perder peso e ser consistente)⁣
  • A ÚNICA coisa que tens de dominar para finalmente não usar o “jejum como dieta” mas sim como uma ferramenta para perder gordura rápido ⁣
  • Como reduzir o teu apetite em 67,6% em menos de 10 dias (um truque que não partilho muitas vezes mas que me ajudou a perder 15 quilos num abrir e fechar de olhos)⁣
  • A maior bomba de verdades sobre como as pessoas que andam por aí a impingir o jejum não percebem como funciona e te podem causar problemas de saúde permanentes, incluindo mentais⁣

Aguardo o teu feedback por baixo nos comentários 😉

descomplica

Quanto tempo deve durar o meu treino?

Quanto tempo deve durar o meu treino?

Introdução

Hoje temos um tema bastante interessante e está relacionado com a duração que o treino deve durar. Será que o ideal são 30mn, 1h ou mesmo 3h? Para começar vai depender do tipo de treino que estamos a falar, se é um treino direcionado para Força Máxima, Hipertrofia, Cardiovascular ou mesmo específico de uma modalidade (Técnico-Táctico). No artigo de hoje vamos focar-nos apenas no Treino de Força direcionado para Hipertrofia.

Há uma duração mágica?

Nos dias de hoje ainda ouço muito o mito que não se pode treinar mais do que 60mn, devido à quantidade de cortisol libertada e que vai catabolizar o nosso precioso tecido muscular. 

No entanto, isto não é verdade, porque a libertação de cortisol durante o treino é uma resposta fisiológica perfeitamente normal e não causa efeitos negativos. 

O cortisol é problemático quando está aumentando de forma crónica e na realidade o treino até promove a atenuação da libertação de cortisol noutros momentos do dia (1). Até temos estudos a comprovar que a resposta do cortisol no treino de força está linearmente correlacionado com os ganhos de massa muscular (2,3). 

Conseguimos perceber que não há efeitos negativos em treinar acima de 1h, mas então quanto tempo deve durar o treino? A verdade é que depende e é muito individualizado, há vários fatores que vão influenciar:

  1. Tempo disponível para treinar: Este é mesmo dos fatores mais importante, se a tua vida só te permite treinar 45-60mn por treino,é com isso que tens de contar e conseguir potencializar o teu treino durante esse período. 
  1. Genética: Vai depender muito das tuas necessidades individuais de volume, algumas pessoas precisam de mais volume de treino (séries por grupo muscular) do que outras;
  1. Experiência de treino:  À medida que vais sendo mais experiente, e treinando com boa técnica, o volume necessário para teres adaptações vai ser progressivamente maiores;
  1. Afluência do ginásio: Alguns ginásio são mesmo muito movimentados em alguns períodos do dia e isso pode afetar a duração do teu treino. Se tiveres que esperar para ter acesso a certos equipamentos, o teu treino pode ter que se prolongar um pouco mais.   

Como vês são vários os fatores que vão influenciar a duração do treino, ao ponto de ser muito difícil fazer uma recomendação do tempo exato de treino.

A verdade é que não existe um número mágico de quanto tempo deves treinar e muitas vezes até vai variar ao longo do tempo.

Se fizeres uma periodização do teu treino vão haver momentos em que tens mais volume programado e eventualmente vais precisar de treinos um pouco mais longos. Por outro lado se tiveres numa fase exigente a nível profissional, com várias reuniões e bastante stress, possivelmente a tua disponibilidade será menor e os treinos terão que ser um pouco mais curtos. 

Mais nem sempre é melhor

Se não há problema em treinar mais do que 1 hora significa que treinar 3h vai ser melhor? Não propriamente, porque a partir de um certo ponto os retornos vão ser diminuídos.

Todos nós temos um limite máximo de treino que conseguimos tolerar e a partir do momento que passamos esse ponto, os ganhos vão ser tão pequenos que não compensa o tempo despendido no ginásio.

Se chegares ao ponto em que não estás a conseguir trabalhar efetivamente os grupos musculares pretendidos, devido à fadiga central, é sinal que já não estás a ter rendimento no treino. O teu objetivo não deve ser sempre mais, mas sim ter treinos com qualidade.

Gestão de fadiga

Temos que ter em conta que não fazemos apenas uma sessão de treino na semana e que as diferentes sessões de treino vão influenciar as seguintes. Por essa razão devemos gerir cada treino, de forma a não afetar negativamente a seguinte.

Vamos imaginar que treinas 3 vezes por semana e estás a fazer sessões de 2h para chegar ao volume de treino que necessitas, no entanto os treinos estão a ficar muito longo para o tempo que tens disponível e para além disso começas as sessões ainda cansado do treino anterior.

Neste cenário pode fazer sentido reduzires o teu tempo por sessão para 1-1h30 e aumentar a frequência semanal, ou seja, passar de 3 para 4 treinos na semana. Desta forma vais conseguir distribuir o volume de uma maneira diferente e recuperar melhor entre sessões. 

Recomendações

  • A duração que achamos ideal para o treino ronda os 45 minutos e as 2 horas, dependente do tempo que tens disponível e as tuas necessidades individuais;
  • Se tens pouco tempo para treinar por sessão, aumenta o número de sessões semanais se tiveres essa possibilidade e se for mesmo necessário;
  • Não te foques somente na duração do treino, mas sim em progredir. O teu maior foco deve ser conseguires colocar mais peso na barra ao longo do tempo e acumular mais repetições. É verdade que nem todos temos o mesmo tempo disponível para treinar, mas todos nós conseguimos trabalhar arduamente e superarmo-nos a cada dia. 

Bibliografia:

  1. Kraemer, W. J., Staron, R. S., Hagerman, F. C., Hikida, R. S., Fry, A. C., Gordon, S. E., … & Häkkinen, K. (1998). The effects of short-term resistance training on endocrine function in men and women. European journal of applied physiology and occupational physiology, 78(1), 69-76.
  2. West, D. W., & Phillips, S. M. (2012). Associations of exercise-induced hormone profiles and gains in strength and hypertrophy in a large cohort after weight training. European journal of applied physiology, 112(7), 2693-2702.
  3. Simmons, P. S., Miles, J. M., Gerich, J. E., & Haymond, M. W. (1984). Increased proteolysis. An effect of increases in plasma cortisol within the physiologic range. Journal of Clinical Investigation, 73(2), 412.
Madalena Venceu Os Fantasmas do Passado

Madalena Venceu Os Fantasmas do Passado

Hoje trazemos uma história incrível da Madalena. Vamos deixa-la contar em primeira mão tudo o que aconteceu ao longo dos últimos meses a trabalhar em conjunto.

Atenção no final deixamos também algumas das nossas conclusões sobre como conseguiu estes resultados incríveis!


Conhecer a Sik Nutrition foi um processo interessantes. Comecei por ler alguns artigos vossos, e foi isso que me despertou a atenção para o vosso trabalho. O facto da abordagem ser 80% consistência e 20% liberdade foi o fator que inicialmente me interessou mais.

Claro que após tentar dietas durante anos, tive medo de ser mais uma
tentativa falhada. Confesso que tive algumas dúvidas se o vosso
acompanhamento iria transformar o meu mindset de forma a que eu
pudesse fazer desta jornada um estilo de vida.

Mas sabia que era possível, eu já seguia a Inês Castanheira no Instagram, e já tinha visto que foi acompanhada pela Sik Nutrition e que a transformação corporal dela foi surpreendente.

Todo o meu processo com a Sik Nutrition foi passo a passo.


Comecei o protocolo com o Workshop Revolution Diet, aprendendo a calcular as minhas quantidades de comida e aprendendo um pouco sobre hábitos. Perdi cerca de 5 kg e muito volume em cerca de 2 meses.


Quando o João me desafiou para o projeto Body Transformation Coaching 3.0 (ex-Fit in Sixty), que se focava essencialmente em hábitos, soube que tinha de o fazer. A jornada tinha iniciado bem, mas senti que precisava de um acompanhamento mais próximo que me motivasse diariamente a mudar hábitos e a ser consistente com os novos.


Fazer parte da família Sik Nutrition faz-me sentir que não estou sozinha na
jornada, tal como uma família.


Apesar de existir um plano base para mim, senti que o poder de decisão
esteve sempre do meu lado, dado que em momento algum foi definida uma
estratégia sem que eu estivesse de acordo.

No meu caso mantivemos os treinos que já fazia antes do acompanhamento – por saber que seria a única forma de ser consistente com os treinos. Esta foi uma das questões que coloquei à partida e que foi definida de início na nossa jornada.


O suporte da Team foi fantástico: foi sempre de encontro ao que seria melhor para mim, para ser consistente no processo; esclareceu sempre com
muita clareza todas as minhas dúvidas, e soube motivar-me sempre que numa semana o progresso não ia de encontro ao que tinha idealizado.


A minha maior vitória até à data é: a consistência, sem dúvida.

O meu maior problema sempre foi desistir quando iniciava uma dieta. Durante a minha caminhada, entendi que não posso posso viver em dieta, mas sim num estilo de vida em que ser consistente ao longo dos dias, semanas, meses é o mais importante e o que me faz não desistir.

Como é óbvio, todos temos dias menos bons, mas a consistência leva-nos sempre a descartar o “perdido por 100, perdido por 1000” e se “perdemos por 100” seguimos em frente com o nosso plano.

Tudo isto levou a uma bagagem ao longo dos anos mas sempre assumi que o excesso de peso era o resultado das minhas ações. Hoje sinto-me muito bem ao saber que consigo controlar as minhas ações para ser uma pessoa melhor.

Lembro-me de ter medo em momentos de “fuga ao plano”. Mas hoje não vejo jantares fora do plano, se for jantar fora planeio sempre o que vou comer e se não conseguir
cumprir as quantidades ou alimentos, foco-me em não seguir o perdido por 100 perdido por 1000.

A minha estratégia nestas situações é descomplicar, e se for jantar fora aproveito o momento que não se baseia apenas na comida.


Reconheço que ainda tenho uma longa jornada, mas o caminho faz-se
caminhando e só cabe a mim aproveitar tudo o que aprendo com ele.

Ao fim destes meses com a Sik Nutrition, vejo-me uma pessoa mais equilibrada e mais feliz. Não sinto ainda que tenha de inspirar alguém, mas se este testemunho ajudar outras pessoas a mudarem a sua vida, ficarei muito feliz.

Sou a Madalena M., tenho 35 anos, vivo em Penafiel e trabalho no Dep. de Controlo de Gestão numa empresa de construção civil.


Adoro viajar e não vejo a hora de ter a nossa liberdade de volta para
planear a próxima. Não dispenso o convívio com a família e amigos.

Nos tempos de confinamento descobri que o exercício físico é um dos meus
hobbies preferidos e que me faz viver o dia a dia com alguma saúde mental 🙂


Primeiro de tudo Madalena é incrível tudo o que conseguiste até hoje! Os resultados falam por si, mas mais do que tudo, a tua mudança de hábitos e mindset são incríveis!

Gostávamos de partilhar alguns dados simples que te podem ajudar a conseguir resultados igualmente incríveis.

As 3 grandes lições que surgiram deste trabalho conjunto foram:

👉 Consistência vence esforço exagerado

O conceito “dieta” é totalmente errado, e não fazemos dietas na Sik Nutrition.

Não fazemos o papelinho A4 com meia dúzia de comidas, cheio de proibições e alimentos do bem e do mal.

Não defendemos “dias do lixo” que te fazem subir à balança e ver mais 3 quilos.

Usamos o pêndulo da flexibilidade que te permite ter uma nutrição inteligente em que a maioria do teu dia é recheado com alimentos nutricionalmente ricos, como os que a tua avó te mandava comer, mas há sempre espaço para um miminho (como as nossas sikianas que comem um geladinho todos os dias!)

👉 Automatiza o bom, descola-te do mau

A maior parte do teu dia acontece em piloto automático, e a maioria das tuas decisões estão longe de um estado de consciência.

É por isso que em momentos de stress e mais emocionais dás por ti a comer sem fim.

E se sabemos como funciona os hábitos, e que os que tens agora não ajudam, sabemos que se lá permanecerem… no fim da “dieta” vai tudo voltar ao antigamente e acabas a ganhar tudo de novo.

No entanto ao construir um sistema de novos hábitos que sejam os BONS alinhados com os teus objetivos, vais conseguir manter os teus resultados sem esforço e sem privações sem sentido.

👉  Ajusta a tua imagem

Será que tu és tu?

Ou será que tu és quem pensas que és?

Não é nenhum jogo de gramáticas ou trava línguas…

É a realidade. A pessoa que tu pensas ser dita aquilo que tu fazes.

Uma vegetariana comeria carne?

Uma mãe abandonaria um filho em casa para ir passear deixando lá um recém nascido?

A identidade deles não o permite, como tal molda as suas ações e as suas decisões.

Quando conseguimos moldar o teu conceito de imagem e identidade, manter resultados não exige esforço… Pois é o que tu farás normalmente sendo que tu queres ser.

🔥🔥🔥

Vi resultados destes vezes sem conta nos últimos 10 anos desta jornada Sik Nutrition.

Vi mulheres incríveis que têm tudo o que precisam para ter resultados…

Mas faltam-lhes as bases sistemáticas de como perder gordura de forma consistente, e para sempre.

Por isso se és mulher e tens mais de 25 anos, estas estratégias permitem-te perder 4-5 quilos por mês sem andar no yo-yo constante de perder de 3 quilos num mês, ganhar 6 quilos no seguinte…

E eu em conjunto com a minha equipa podemos ajudar-te com isso.

Juntos no programa Body Transformation Coaching vamos trabalhar de forma a que possas comer o que mais gostas sem privações excessivas e sem sentido, para que possas perder de 5 a 8 quilos ao longo das próximas 12 semanas sem teres de te privar de uma vida normal.

Se gostavas de saber mais como funciona, encontra uns minutos no teu dia preenchido e clica abaixo.

Clica neste link e agenda 20 minutos connosco para perceber como te podemos ajudar.

Descomplica

João e Mário

Resoluções de ano novo, o que aprendemos este ano?

Resoluções de ano novo, o que aprendemos este ano?

O ano de 2021 foi uma experiência insana! Foi o primeiro ano onde eu não dei cabo dos meus objetivos! 

E porquê?

Bem… Vamos por passos. Eu vejo-me como uma pessoal com performance acima da média.

Não vou estar com mimimis a fingir que sou um falso modesto.

Eu sei que consigo trabalhar rápido, incrivelmente duro, por longos períodos de tempo.

O meu problema nunca foi falta de “ética” profissional.

No lado oposto diria, eu sempre fui sim demasiado racional e muito pouco emocional.

E o que quero dizer com isto?

Toda a minha vida eu vi tudo sistemático.

Vi sempre tudo como números. Mais ainda, sempre fui fiel àquilo que acreditava.

Desta forma tinha 3 processos à minha frente:

  • A ética profissional e pessoal
  • a lógica do meu foco em números e todos os “tangíveis”
  • e a parte emocional que seria o meu foco nas emoções e sentimentos, os intangíveis

Usando esse meu conhecimento, em 2019 sentei-me e planeei o ano de 2020 pela primeira vez usando os 3, em vez de somente “lógica” e números.
em vez de me focar em:

  • faturar 100 mil euros com as minhas empresas
  • comprar um carro novo todo pipi
  • ter um six-pack (barriga chapada)

E não parei aí, fui um passo mais abaixo.

Por cima desses tangíveis, que experiências gostava de tirar deles?
Que emoções quero sentir?

Se conseguir faturar 100 mil euros nas minhas empresas, que experiências vão acontecer?

Se eu comprar um carro todo pipi,  que posso fazer com o carro? Que experiência desejo ter?

Se eu conseguir uma barriga chapada, o que posso sentir e viver de forma diferente?

Depois de refletir e escrever, essas experiências passaram a ser os meus objetivos para o ano de 2020.

Claro que ainda tinha alguns tangíveis e ações/hábitos diários a cumprir para garantir que atingia algo, mas o meu foco estava em grande parte nas experiências.

Faturar aquele dinheiro ou comprar um carro novo eram somente meios para atingir um fim, e não um fim em si próprio.

E isto tudo para mim que sou um “control freak”, permitiram-me relaxar e viver a vida calmamente mas de forma entusiástica.

Permiti-me ajustar o caminho enquanto o fazia sem estar demasiado focado no processo que era somente “um meio para atingir um fio”.

Curiosamente… A maioria dos objetivos “lógicos e tangíveis” mudaram ao longo do ano.

No entanto , experiência TUDO o que eu queria neste ano, o que me permite sentir-me 100% agradecido por isso.

E não quero fazer-te perder tempo a falar de números…

Mas para te dar umas luzes, os objetivos financeiros, que eram somente meios para um fim, foram fáceis de ajustar e ser criativo na procura de soluções alternativas.

E podia continuar a viver a experiência que queria: ter tudo o que queria e me fazia a mim e à minha família feliz sem estar preocupado se tinha dinheiro para isso.

Agora que esqueci o carro e foquei-me na experiência de ter mais tempo prazeroso, acabei de reduzir o tempo passado no carro em 50%, andando 50% mais de passos que o ano anterior (aproveitando para passar tempo comigo, que era o que queria!).

Ignorei a barriga chapada e foquei-me em comer e treinar para me sentir bem diariamente enquanto tinha energia para passar tempo de qualidade com amigos e família.

Se tivesse ficado demasiado preso às metas e objetivos lógicos, este ano poderia ter sido uma redonda falha…

Mas foi exatamente o oposto! Foi um dos meus anos mais bem sucedidos para quase todas as áreas da minha vida, e com uma abordagem tão mais balanceada.

E tu, já planeaste o teu ano de 2021?

Se sim, pensaste também nos objetivos emocionais e intangíveis?

Quando pensares nos teus objetivos, não “exageres” nos resultados materiais e foca-te mais nas experiências.

Este é o meu grande desejo para ti neste ano novo que se avizinha,
João

O processo de uma nova Confiança ao olhar no espelho – com Maria C.

O processo de uma nova Confiança ao olhar no espelho – com Maria C.

Hoje partilhamos um pouco da história incrível da Maria. Deixamos o feedback abaixo e no final do post vou explicar um pouco sobre o processo para estes resultados incríveis.

Recebe acesso ao curso de 4 episódios 1” grátis aqui: https://bit.ly/workshopSANDS


O que despertou o meu interesse na Sik Nutrition foi o facto de terem uma abordagem diferente, da qual nunca tinha ouvido falar. Claro está que também foi bastante apelativo tratar-se de uma abordagem que não me iria restringir tanto (e por isso mais fácil de incorporar no dia-a-dia e tornar parte da minha rotina), o que à partida seria um fator que me iria ajudar a atingir os meus objetivos.

Antes de começar esta jornada tive o receio de não conseguir compreender o método e consequentemente não conseguir atingir os meus objetivos e desiludir-me. Tive algumas dúvidas sobre se seria a melhor opção para mim, mas dado que já tinha experimentado outras abordagens antes, pensei que seria justo dar uma oportunidade a esta também. Além disso, se eventualmente não resultasse pelo menos tinha tentado. 

Antes de iniciar esta jornada eu já tinha, no passado, tido um percurso de perda de peso, em que perdi 10 kg. Contudo, senti que precisava de algo mais. Eu tinha estagnado, mas ainda não estava satisfeita com a minha pessoa. Embora com objetivos diferentes, conhecia a Inês Direito que foi acompanhada por esta equipa com resultados bastante interessantes, o que me deu também alguma confiança para experimentar o processo. Foi através dela que tive conhecimento da Sik Nutrition.

Foi ótimo sentir que ia fazer alguma coisa para mudar o que eu não gostava em mim. Senti nervosismo por não saber o que ia resultar deste processo, com uma série de questões acerca da minha capacidade para cumprir o que me estavam a propor. Mas foi ótimo fazer parte deste Grupo. É ótimo sentir que há uma “família” que nos está a apoiar durante o processo que está sempre lá para qualquer dúvida.

Ao longo do processo senti que os coaches estavam sempre super disponíveis. Achei os todos os conteúdos disponibilizados bastante elucidativos e o facto do João aliar a neurociência aos hábitos e à nutrição é mesmo espetacular porque nos permite COMPREENDER. E na minha ótica, é importante desconstruir e compreender, para depois conseguirmos adaptar e aplicar à vida e ao quotidiano de cada um.

Ao longo do processo senti que tinha poder de decisão, porque embora os coaches estabelecessem um plano para nós, tudo isso era discutido connosco para encontrar o melhor equilíbrio, quer a nível de nutrição como também de treino.

O suporte da Team foi impecável. Não houve nenhuma vez em que eu sentisse que estava perdida e não fosse ajudada. Sempre que surgiram dúvidas, foram respondidas.

Sempre que duvidei de mim, fui apoiada. Nos momentos em que desmotivei um pouco, fui incentivada a não desistir, e ainda bem!

Além disso, como me encontrava num programa em grupo, para mim foi fundamental perceber que há mais pessoas a passar pelo mesmo que eu, e sentir que tinha um grupo a apoiar-me sempre que havia uma semana menos boa, e também a celebrar comigo sempre que conseguia mais uma vitória. Essas coisas deram-me alento para continuar e confiar no processo.

Ao longo do processo acho que a peça mais importante aprendida foi mesmo a #descomplicar. Porque todos temos dias melhores e dias piores, e é bom saber descomplicar e adaptar a nossa nutrição e o nosso estilo de vida de acordo com os nossos objetivos, mas também de acordo com o nosso “eu” do momento. Aprendi que a balança é só um número e que há tantas outras formas de medir progresso, e isso é espetacular porque me faz valorizar mais o meu esforço que se manifesta em resultados de tantas formas. 

Além disso também foi fundamental ganhar a engrenagem para ser consistente. Sempre foi a minha maior dificuldade, e neste momento eu sinto que o difícil é não ser consistente. Já faz parte de mim.

Sentia vergonha de quem era antes porque não estava confortável e confiante no meu corpo. Sei que ainda tenho um longo caminho a percorrer, porque durante muito tempo me senti desconfortável e é difícil convencer o nosso cérebro de que já não somos aquela pessoa.

Hoje sinto-me mais saudável física e mentalmente, e sinto-me mais confiante e confortável no meu corpo. Também me sinto feliz por ter dado oportunidade a este programa porque conheci pessoas espetaculares, que me ajudaram a ser uma pessoa melhor a vários níveis. Sinto-me inspirada e fazer melhor e a ser melhor e isso deixa-me entusiasmada.

Ao longo do processo tive medo de não conseguir cumprir o meu plano, as porções definidas. Senti que havia dias em que ter esse controlo era difícil porque as escolhas alimentares não dependiam só de mim e isso deixava-me nervosa.

Lembro-me de uma vez ter questionado os coaches acerca disso, porque sabia que ia ter um jantar de amigos e não sabia como lidar com a situação. Os coaches ajudaram, como sempre, e deram-me todas as dicas que eu precisava.

Atualmente consigo desconstruir a situação e preparar-me para ela. Sinto que tenho poder sobre o que vou comer e sei adaptar o meu plano para conseguir encaixar esses eventos sem comprometer os meus objetivos ao mesmo tempo que consigo usufruir dessas alturas de alimentação “mais livre”. Tudo descomplicado e com equilíbrio.

Sinto que hoje sou uma pessoa mais informada a nível de nutrição, o que também me dá mais confiança para ajudar os outros. Sinto que inspirei outros a mudar alguns hábitos menos saudáveis por compreenderem que é possível ser mais saudável sem ser infeliz.

O meu nome é Maria C., tenho 27 anos sou de Aveiro, e estou atualmente no último ano do Doutoramento em Biomedicina da Universidade de Aveiro.

Adoro conviver com os meus amigos, fazer exercício e alguns trabalhos manuais.

Não gosto de ler, mas adoro um bom filme!

Viajar também é das coisas que mais gosto por me permitir conhecer sítios novos, pessoas novas e costumes de outras regiões. 

Música é algo que não pode faltar no meu dia-a-dia, e por isso sempre que posso gosto de ouvir música.


Feedback dos Coaches

Todo este trabalho feito pela Maria é incrível! Ajudamos de forma subtil, pois como pessoa inteligente e focada a Maria tinha muitos ingredientes para o sucesso 🙂

Existiram 3 passos que ajudaram imenso neste processo:

  1. Um plano feito à medida (e não um chapa 5)
    • Para que tivesse algo feito à sua medida e não algo genérico nada adaptável ou flexível.
  2. Apoio Multifactorial da Equipa
    • Para sentir suporte e se apoiar na regra dos 33%
  3. Construir um processo de consistência
    • Para conseguir manter este processo para SEMPRE.

Queremos convidar-te também a engrenar connosco no novo arranque do Programa que a Maria participou, já em Janeiro.

Procuramos 5 mulheres super motivadas a fazer parte da “estreia” da nova versão do programa.

Falamos em trabalhar lado a lado contigo para atingires a tua melhor versão já nos primeiros meses de 2021.

Vais te cansar de ouvir “estás mais magra”, de tão recorrente que é.

Por isso se tens pelo menos 5 quilos para perder, e já tentaste pelo menos fazer dieta 2 vezes nos últimos meses…

Este convite é para ti.

Clica aqui para saberes mais.

João