Treino e Alimentação pós-excessos dos Santos

Treino e Alimentação pós-excessos dos Santos

Os Santos Populares são o teu tendão de Aquiles?  Descobre quais os cuidados a ter com a alimentação e treino depois de uma noite de excessos.
Na Sik Nutrition somos totalmente a favor de uma vida equilibrada e moderada. Não achamos que deves cometer exageros todas as noite, com um pouco de comida a mais e até bebida, mas ocasionalmente não será um problema. Se ao longo do ano fores consistente na tua abordagem nutricional e no treino, não serão alguns dias do ano que vão arruinar o teu progresso. Lembra-te que a consistência bate a perfeição em qualquer dia da semana.

Apetite e escolhas alimentares

O Coach João já escreveu um artigo sobre como introduzir o Álcool na dieta, sabemos que o álcool para além do seu conteúdo calórico causa uma perda da inibição. Isso combinado com o facto do álcool potencialmente aumentar o apetite, é uma receita para terminar a noite ou início do dia a comer refeições com alta palatabilidade, como é o caso da fast food (quem nunca acabou a comer uma pizza ou um hambúrguer que lance a primeira pedra).
Ressacas
Grandes quantidades de álcool podem afetar a qualidade de sono e promover desidratação, devido ao seu efeito diurético. Isto acaba por tornar o dia seguinte bastante duro e consequentemente os níveis de actividade física e dispêndio calórico podem ser muito baixos.
Conclusão
Como podes ver muitas vezes o problema pode não ser só a noite em questão, mas também o dia seguinte principalmente se beberes demais. Corres o risco de continuar a ingerir alimentos com alta palatabilidade aliado a uma actividade física reduzida.

Estratégias que podes utilizar

  • Minimizar a ingestão de gordura na noite e aumentar a ingestão de proteína

Dos três macronutrientes a gordura é a mais calórica e por isso faz sentido reduzir a sua ingestão. Por outro lado podes aumentar a ingestão de proteína que vai deixar-te mais saciado e ao mesmo tempo permitir uma maior volumetria. Vamos ser sinceros… isto não é um ponto muito difícil na noite dos Santos com tanta sardinha e bifanas nas ruas 🙂

  • Leva contigo um snack ou deixa algo preparado em casa

Para não terminares a noite a comer fast food ou destruíres o frigorífico ao chegar a casa, leva contigo algum snack proteico (umas barras, por exemplo) ou deixa algum snack mais saudável já preparado para quando chegares a casa. Esta abordagem vai fazer com que o excesso da noite não se prolongue.

  • Faz alguma actividade física

Atenção que o objetivo de fazer algo no dia seguinte não é com uma lógica de compensação/castigo pelo que fizeste na noite anterior. É simplesmente para continuares com a tua rotina e continuares a ser fisicamente activo! Como já tinha mencionado, a tendência vai ser estares um pouco mais parado no dia seguinte. A verdade é que não precisas de fazer um treino intenso no dia seguinte, mas uma ligeira caminhada vai ser suficiente para não estares o dia todo a vegetar no sofá.
Se tiveres planeado treino de força neste dia e não estás em condições, mais vale descansares e optares por uma actividade ligeira. No entanto se te sentires bem força, treina! Podes não ter a mesma performance que noutras sessões, mas não te preocupes com isso.
Qualquer das opções vai ser essencial teres uma atenção extra em te manteres sempre bem hidratado.

Conclusões

Quando fazes uma noite de excessos tens que ter em consideração os teus comportamentos durante esse dia e nos seguintes. Em primeiro lugar se os vais cometer deves estar bem contigo e não ter motivos para te arrepender no dia seguinte, porque foi uma escolha consciente! É essencial que tenhas o mindset certo para não entrares numa espiral de culpa/arrependimento, levando a que te afastes dos teus objetivos e das tuas rotinas atuais.
Deves pensar que foi uma noite que aproveitaste, divertiste-te e no dia seguinte deves voltar á tua rotina sem compensações e arrependimentos!
Aproveita as Sardinhas nos Santos e Descomplica.
Coach Mário

O Poder da Mente nos Treinos

O Poder da Mente nos Treinos

Introdução

Já falamos anteriormente, várias vezes, do poder da mente. Na construção dos planos para mudar algo na tua vida, para definir estratégias e para implementar mudanças permanentes na alimentação.

Mas de que forma a mente pode influenciar nos treinos? Não falo em ir ao ginásio, mas sim no impacto direto na performance do treino. É sobre isto que vamos falar hoje, e o artigo vai focar-se em dois fatores relacionados com o poder da mente:

  • O conhecido “conexão mente-músculo
  • E o controlo sobre o Diálogo Interno

 

Estudos em análise

CONEXÃO MENTE-MÚSCULO

Se já conheceste algum aficionado “old school” do ginásio certamente já ouviste certamente dizer-te “contrai o músculo”, tens de “sentir” o músculo a contrair.

É conhecido na gíria como a conexão mente-músculo, ou seja, a capacidade de através do controlo mental gerar mais output força, ou pelo menos é esta a intenção. Existe um nome para esta conexão mente-músculo, chama-se sinalização interna.

A sinalização interna consiste na aplicação do foco numa parte do moimento ou do uso de alguma parte corporal em específico. Como exemplo dado no [3] usando o lockout (parte final do movimento) no supino plano, quando dizes “contrai os tríceps” ou “estica os cotovelos” é um tipo de sinalização interna. Usando o mesmo exemplo do supino dizer algo como “manda a barra em direção ao teto” é um tipo de sinalização externa.

Este estudo [1] analisou a importância da sinalização interna (também conhecido como conexão mente-músculo), através da análise da atividade dos músculos da perna quando era usada a sinalização interna como focar no músculo em especifico (neste caso contração do Vasto Medial).

Foi utilizado a leg extension e foi comparada a ativação usando a sinalização interna (contrair o Vasto Medial) vs. sinalização externa (apenas empurrar a almofada com a maior força possível).

Surpreendentemente, quer a sinalização interna quer a externa produziram exatamente os mesmos resultados a nível de força. Ou seja, mesmo utilizando a sinalização interna para forçar a ativação do Vasto Medial, outros músculos foram igualmente ativados para produção de força. Desta forma e a nível de controlo mental será mais eficiente usar a sinalização externa para produção de força durante o treino. Para que possas comparar vários tipos de sinalização interna e externa deixo a tabela abaixo retirada do [3] :

Sinalização Interna Sinalização Externa
Supino Aperta o peitoral Aperta o teu corpo contra o banco
Peso Morto Aproxima a tua anca da barra Puxa a barra em direção ao teto
Agachamento Mantem o peito para cima Tenta pressionar o mais forte possível contra o chão

DIÁLOGO INTERNO

Este estudo [2] decidiu comparar os efeitos do treino mental sob a performance e outros marcadores em dois grupos de Kickboxers de alta competição.

Os Kickboxers seguiram o mesmo esquema de treino ao longo das 12 semanas, com a diferença que um dos grupos acrescentou treino mental que incluía Diálogo Interno Motivacional (mais relevante para o artigo de hoje) e o Poder da Visualização.

O treino mental que incluía o Dialogo Interno Motivacional feito neste protocolo incluía que esse discurso fosse feito entre séries. E como foi feito? Foi pedido a todos os atletas que identificassem os seus Diálogos Internos Negativos e que fosse escrito, e que reescrevessem esse diálogo na positiva ou de forma motivacional. Por exemplo para uma atleta:

  • “Não sei se consigo levantar este peso todo”
  • Foi lhes pedidos que repetissem algo como “Eu consigo levantar mais peso que isto”, e que repetissem este diálogo interno entre séries

Foi-lhes ainda proposto que fizessem novas revisões assim que lhes surgissem novos Diálogos Internos Negativos.

Retirando do estudo o mais relevante para quem segue o Blog vamos focar-nos nas diferenças de performance nos exercícios de força que eram o Agachamento e Supino Plano com barra.

O Grupo que seguiu o treino mental teve melhores resultados que o grupo que somente seguir o plano de treino. Mas mais interessante que os ganhos na performance, foi a observação que o grupo que realizou treino mental mostrou níveis mais reduzidos de stress e uma maior redução nos níveis de Batimento Cardíaco em Repouso e Pressão Arterial, do que o grupo que não realizou treino mental.

Como é possível ver no gráfico retirado do [4] os aumentos no Agachamento e Supino são significantemente maiores nos Grupo que seguiu o Treino Mental.

Como é possível ver no gráfico também retirado do [4] a redução nos níveis de Batimento Cardíaco em Repouso e Pressão Arterial foram também significantemente maiores no Grupo que realizou treino mental.

 

 

CONCLUSÕES E APLICAÇÃO PRÁTICA

Já estás de olhos em bico com estes estudos? O que podemos retirar disto tudo e aplicar já no treino?

Do nosso primeiro ponto, sobre a conexão mente-músculo, podemos concluir que se procuramos principalmente melhorias na performance a sinalização externa é mais eficiente quer a nível de performance quer a nível de eficiência muscular. Desta forma dá uma olhada nos nossos artigos nos exercícios básicos para te ajudar na sinalização externa:

Como realizar agachamento

Como realizar peso morto

Como realizar o supino

Relativamente ao segundo ponto, sobre o Diálogo Interno, é que podes adotar já esta estratégia hoje para começar a obter melhorias a nível de performance e qualidades Fitness do teu treino, sendo uma técnica que adiciona progresso sem ter qualquer custo a nível de recuperação. É uma técnica fácil e simples de implementar, ajuda-te a estar mais concentrado entre séries (em vez de viajar no Instagram da @siknutrition!). Eu pessoalmente uso imenso esta segunda técnica, principalmente entre séries assim que sinto que a série não correu como “esperava” tento positivamente colocar tudo em linha para que a próxima série corra melhor. Tens aqui uma proposta eficiente para tirar mais ganhos do teu treino, sem adicionar qualquer trabalho extra. E mais fácil? Só mesmo quando se  #descomplica.

Literatura

[1]Marchant DC, Greig M. Attentional focusing instructions influence quadriceps activity characteristics but not force production during isokinetic knee extensions.
[2]Effects of Mental Training on Muscular Force, Hormonal and Physiological Changes in Kickboxers. Slimani et al. (2017)
[3] Mass Vol1. Issue 2 
[4] Mass Vol1. Issue 5 

 

Por João Gonçalves

A DIFERENÇA ENTRE “PARECER” FIT E “ESTAR FIT”

A DIFERENÇA ENTRE “PARECER” FIT E “ESTAR FIT”

No ano de 2018, onde a era das redes sociais cresce a níveis assustadores, e em que todos os dias surgem novas páginas no Instagram, Facebook e Youtube sobre fitness, falta ainda compreender. Qual a diferença entre Parecer Fit e Estar realmente Fit?
Abrimos as redes sociais e deparamo-nos com abdominais esculpidos, bumbuns na nuca, ombros de envergonhar os Deuses Romanos, e tanta saúde para dar. Esta é a imagem vendida pela Indústria do Fitness, esta é a imagem vendida pelas Personalidades Fits Famosas.
No entanto, será isto Estar Fit? Qual o custo desta aparência? Qual a ecologia desta escolha de objetivos?
Esquece as fábulas se alguém te disse que é “fácil” chegar a este nível de corpo de revista. Que dieta não é sofrimento, que treino é fácil, que não tens de fazer escolhas e abdicar de coisas para atingir este nível de Composição Corporal. No entanto, isto é, Parecer Fit o que na minha opinião não tem nada a ver com Estar Fit.
Vamos então definir cada um deles.
 

O que significa Estar Fit

É tentador pensar que estar Fit significa ter aquele corpo de invejar, que permite tirar Selfies constantes ao espelho para poder atestar o Instagram de fotos repletas de likes. Essas mesmas fotos, fazem-te sentir que falhaste porque não consegues ser como elas! Que não podes orgulhosamente usar um nickname que envolve @*_fit ou dizer aos teus amigos que é realmente fit. Apesar de contar tudo o que comes, realizares o teu plano de exercícios à risca ainda não te pareces com os teus ídolos das redes sociais. Mas… Tu podes Estar Fit sem atingir esse resultado estético. Esses resultados estéticos presumem a genética, o tempo investido e outros tantos parâmeros que não definem o teu grau de fitness, a não ser que Parecer Fitness seja a tua profissão.
Estar Fit é uma questão de praticar diariamente o amor próprio e aceitação, invés do self-hate e autocrítica constante. (pode parecer cliché, mas concordo na totalidade com a vaga do amor próprio)
Estar Fit é um estado de não só físico, mas mental, o estado que te permite ir construindo uma nova versão de ti, uma versão melhor do que a de ontem, melhor do que hoje.
Enquanto Coach, levar alguém a sentir que Está Fit é enaltecer as suas qualidades, forças e talentos para ser alguém melhor, para alguém que dá passadas em direção do seu objetivo. Alguém ativo, com cuidados a nível de saúde e bem-estar, alguém que ama toda a fase da mudança permanente dessa jornada.
Estar Fit, não é comer brócolos com pescada 6x por dia terminando as semanas em compulsão, binge ou outros distúrbios alimentares.
Estar Fit é um estado de Espírito que trás felicidade à tua vida, não é um fardo.
Estar Fit não está associado ao programa de Acompanhamento que compraste, mas sim ao teu mindset, à tua atitude não só do Fitness mas em todas as áreas da tua vida.
Estar Fit não é igual para toda a gente! O que é aos teus olhos ser Fit, pode não ser os meus por isso respeita o teu tempo e os teus ideais.
E a nível fisiológico o que é Estar Fit?
A nível de % de gordura corporal, é extremamente variável de pessoa para pessoa, mas de 11-22% de Gordura Corporal para os Homens e de 22-33% de Gordura Corporal para Mulheres.
Ou seja, concordo que a maioria das pessoas no dia de hoje não Estão Fit a nível fisiológico, e que devem continuar para atingir valores que os permitam estar com uma saúde de ferro.

Ver mais: Porque estamos a engordar?

Estar Fit é a mudança nos comportamentos, hábitos e rotinas desenvolvidas ao longo do processo que pode levar como resultado Parecer Fit, explicado a seguir.
 

O que significa Parecer Fit

As Bloggers, Modelos Fitness e Atletas de Competições de Fisioculturismo tiram fotos excelentes mostrando todas as suas linhas corporais e músculos. O que não é visto muitas das vezes é que passam fome para lá chegarem, que sofrem bastante ao longo do processo para conseguirem essas mesmas fotos. Não aches eu alguém se apresenta naquela condição de Palco o ano inteiro, ou que é um estado possível de manter a longo prazo, mesmo recorrendo ao uso de substâncias dopantes.
Acho que não deves tentar atingir aquele Aspeto Fit? Quem sabe… Se respeitar alguns passos, mas não aches que aquele será o teu aspeto ao longo da tua vida porque não é compatível, muito menos saudável.
Se fizeres esta escolha de Parecer Fit, e representar viver infeliz nunca vais realmente Estar Fit.
Eu sei, que é um fator de autoridade nas redes sociais ter um corpo Fitness e de impacto, que faz dessas pessoas Divas e Divos porque automaticamente julgamos pelo seu físico toda a sua dedicação, no entanto não te julgues menos Fitness por isso.
Falando em mim, já Pareci muito mais fitness do que pareço hoje, mas nunca me senti tão fitness! A minha Performance está no auge da minha carreira amadora a levantar pesos, consigo bater todas as minhas etapas e objetivos traçados, tenho uma relação ótima com a alimentação, consigo ter prazer e foco no meu trabalho e uma vida social. Sinto que Estou fitness em todas as áreas da minha vida, sinto-me Pleno.
Assim como eu, julgo que podes ser SUPER FIT e ter um pouco mais de gordura corporal do que a necessária para te apresentares em palco, se te permitir ter uma melhor performance e uma vida muito mais equilibrada. Se ter uma gordura extra te permitir ter mais energia ao longo do dia, e ter mais liberdade para eventos sociais.
A maior parte dos culturistas que conheci, e conheço, sofrem bastante com meses a fio a passar restrição calórica, para se apresentarem naquela condição fantástica em Palco, mas muitos deles são bastante infelizes fora deste desporto. A próxima vez que invejares uma dessas pessoas pensa quanto ela teve de abdicar da sua vida para se apresentar naquela condição, e se tu estarias disposto a fazer o mesmo para te apresentares assim.
E a nível fisiológico o que é Parecer Fit?
A nível de % de gordura corporal, é extremamente variável de pessoa para pessoa, mas de cerca de menos de 6% de Gordura Corporal para os Homens e de menos de 16% de Gordura Corporal para Mulheres.
Estes valores são antinaturais, obrigando a desrespeitar os valores necessários para cumprir com todos os processos biológicos, abdicar de qualquer extra fora dieta, de treinar além dos níveis de cansaço recomendados.
 

A (DURA) REALIDADE

A maioria das pessoas que observo nas redes sociais, principalmente os mais recentes seguidores da maioria das Celebridades deixam-se iludir pela “facilidade” de chegar aquele nível apresentado em fotos. Esperam que uma pequena mudança nutricional e de treino lhe permita apresentar um Beach Body que pare o transito na Praia de Santo Amaro de Oeiras.
Todo o processo necessário para perder 5 kgs é bem diferente de perder os 5 kgs seguintes, ou os últimos 5 kgs… Quanto mais perto do nível de “palco” ou revista te aproximas, mais difícil é o processo.
Nem tudo o que vês é verdade, Photoshop e jogo de poses e Luzes estão associados à dismorfia como é visto a imagem corporal… Jogos de hidratos e quantidade de água ingerida são também processos que permitem um look “duro” momentâneo.

Ler mais: Processo de Atleta de Competição

Se aceitas que não vais ser a próxima capa da Mens Health ou Womans Health, então podes viver na mesma uma vida Fit sem ter de o parecer 24 sobre 24h.
 

CONCLUSÂO

Se já segues uma dieta saudável e equilibrada, tens uma vida ativa e treinas regularmente então já podes considerar que Estás Fit!

Descobre como queimar mais 500 calorias por dia

Estar Fit vai representar ter controlo sobre os teus hábitos e rotinas, para um Eu mais saudável a cada dia que passa.
Nunca mistures os dois lados do Fitness, que envolvem a sensação de estar Fitness e de parecer! Porque nem tudo o que parece é…
O corpo é teu e a decisão é tua, por isso após ler este artigo espero que possas decidir conscientemente se Realmente importa para ti Parecer Fitness, e todos os custos associados a esse processo, se valem realmente a pena. Este é um dos meus maiores desafios como Coach, ajudar a gerir expectativas e custo de objetivos para garantir que a tua mente fica alinhada a nível do que realmente para ti é progredir e ter uma vida melhor.
Muitos dos nossos clientes começaram a jornada aspirando ser como algumas das Celebridades, mas ao longo do tempo perceberam por si outras vitórias, outras mudanças de comportamentos que os fizeram sentir Fit, sem ter de abdicar de tudo o que mais gostam e encontrando aquilo que realmente os faz feliz.
Deixo-te a pergunta:

Será aquele nível de Composição Corporal, o que realmente procuras?

Se achas que precisas de ajuda para parecer, ou estar Fit? Fala connosco, e aproveita a ajuda dos Coach mais fixe do País, e arredores ?
Se alguma vez te disseram que não tens força de vontade, que tens medo ou és incapaz de atingir o resultado dessa Celebridade, é um erro deles não teu. Estar Fit é uma mais valia na tua vida, Parecer Fit pode não ser!
#Descomplica
Coach João
 

Bibliografia

Being Fit
Cost of Getting Lean
You don’t know fit

Como devo trabalhar corretamente os exercícios? (Supino)

Como devo trabalhar corretamente os exercícios? (Supino)

INTRODUÇÃO

Neste artigo iremos falar sobre o exercício Supino Plano com Barra, que é  considerado um dos “três grandes”.

Este exercício é um dos favoritos da maioria, e aposto que já te perguntaram “Quanto fazes no supino?”. O objetivo deste artigo é ajudar-te a executar este exercício corretamente e como podes melhorar o mesmo, só não te conseguimos ajudar a encontrar um Banco de Supino livre à Segunda-Feira (Dia Mundial do Peitoral ;P).

CINESIOLOGIA E BIOMECANICA DO MOVIMENTO

Neste exercíco há duas articulações a participar no movimento: ombro e cotovelo. Os principais movimentos e respetivos músculos ativados são os seguintes:

  • Adução Horizontal do Ombro: Deltóide Anterior, Grande Peitoral e Coracobraquial

  • Flexão do Ombro: Porção Clavicular do Grande Peitoral, Coracobraquial, Bícep Braquial e Deltóide anterior

  • Extensão do Cotovelo: Tríceps  braquial e ancóneo

A participação da flexão do ombro vai depender da distância da barra relativamente ao ombro, quanto mais à frente estiver a barra maior será a solicitação dos flexores do ombro (deltóide anterior e peitoral clavicular).

A exigência da adução horizontal vai ser determinada pela distância da pega. Quanto mais larga for maior é a distância lateral entre o ombro e as mãos, logo a adução horizontal vai ser maior havendo assim uma maior solicitação do grande peitoral.

 


A extensão do cotovelo vai sempre ocorrer no movimento, visto que na subida tens de “esticar o cotovelo”. A sua participação vai ser maior quanto mais à frente o cotovelo estiver da barra no início fase concêntrica. Se o cotovelo estiver muito avançado acaba por ocorrer um híbrido de Supino/Extensão do tríceps com barra.

TRAJETÓRIA DA BARRA

Pode ser uma novidade para ti, mas na realidade a trajetória da barra no Supino não deve ser totalmente vertical, porque isso iria reduzir a flexão do ombro e aumentar o risco de lesão no ombro, graças a uma adução horizontal do ombro com rotação interna que aumenta o conflito subacromial. Esta é uma das razões pela qual não sou grande fã de realizar este exercício na Smith/Multipower.

A imagem seguinte mostra a diferença de trajetórias entre um atleta iniciado e atletas de elite.


Como podes ver os atletas de elite têm uma trajectória na subida para cima-atrás e depois diretamente para cima, equanto que um iniciado vai diretamente para cima e depois para cima-atrás. Nem todos vamos ter a mesma trajetória, mas à medida que fores mais experiente à partida a tua trajetória vai ter alterações.

LEG DRIVE
O supino é um movimento essencialmente de músculos do tronco, mas os membros inferiores também vão ter o seu papel através do Leg Drive, que é uma técnica mais pertinente para quem pretende aumentar força e essencial para atletas de Powerlifting. Com esta técnica ao empurrar a barra saindo do peito vais contrair os teus glúteos ao máximo e empurrar o chão com os teus pés.

PREPARAÇÃO (SETUP)

1. Preparação:

a) Deita-te de barriga para cima no banco com o nariz/boca alinhados sobre a barra.

b) Realiza a retração das omoplatas, imaginando que queres prender uma caneta nas costas e de forma a ficares bem estável no banco. Ao realizares esta retração o teu peito vai levantar e criar um arco. Este arco sendo essencialmente dorsal não vai ser prejudicial ou potenciador de lesão, se fores comepetir em powerlifting pode ser até vantajoso aumentar este arco de forma a reduzires a amplitude de movimento. Esta retração vai ajudar-te a proteger os teus ombros e com um ligeiro arco, até vais conseguir realizar cargas superiores e consequentemente aumentar tensão muscular.

c) Pés deve estar fixos no chão, se for muito desconfortável ou tiveres um banco muito elevado podes colocar um step para colocares os pés. Os pés pode estar mais à frente ou atrás vai mesmo depender de onde te sentes mais confortável. Tens que garantir que ao longo da execução em momento algum os pés saem no chão, porque acabam por ser uma base de apoio no exercício.

2. Agarra a barra.

a) Deves segurar a barra com as mãos ligeiramente mais afastadas que a largura do ombro. 1,5-2x a largura dos ombros vai ser o mais confortável para a maioria.

b) Coloca a barra na palma da mão e agarra com uma pega total (enrolando também o polegar).

c) Aperta muito bem a barra ao longo da execução e mantém o punho bem fixo, sem teres um flexão excessiva.

3. Retira a barra dos apoios

a) Respira fundo, mantendo todo o teu Setup, e retira a barra esticando os teus cotovelos.

b) Leva a barra para a frente dos teus ombros, mantendo os cotovelos sempre trancados.

4. Descida

a) Desce a barra controladamente (2-3 segundos) até a zona inferior do teu peitoral. Entre o mamilo e o esterno vai ser o mais confortável para a maioria das pessoas.

b) Ao desceres deves manter o teu braço ligeiramente oliquo relativamente ao chão e não paralelo como muitas vezes é recomendado. Ao fazeres com os cotovelos “para fora” estar a potenciar conflitos sub-acromiais, que podem levar a lesões na coifa.

c) Sustém a respiração na fase final do movimento.

5. Subida

a) Empurra a barra com o máximo de força possível, utilizando o Leg Drive (que falámos na secção da biomecânica).

b) Direcciona a barra em direcção à tua cara na subida e não numa linha recta, desta forma o teu levantamento vai ser muito mais eficaz.

c) Mantém o rabo sempre apoiado no banco, assim como os pés fixos no chão.

d) Tranca os cotovelos no final da subida

e) Deita o ar fora no final do movimento.

PROGRESSÃO E PLANO DE AÇÃO

Nem todas as pessoas vão conseguir realizar Supino Plano com Barra logo de início, quer por questões técnicas, quer por questões de força e para chegar lá serão necessáras algumas progressões. Esta que vou apresentar é uma de muitas:

  • Push ups em plano inclinado
  • Supino Plano C/ Halteres e Pega Neutra
  • Supino Plano C/ Halteres e Pega em Pronação
  • Supino Plano C/ Halteres alternado
  • Supino Plano C/ Barra

Se gostas deste tipo de artigos, partilha e diz-nos se queres ver mais exercícios explicados 😉 Descomplica.
Autor: Coach Mário Oliveira

 

VÍDEO TUTORIAL

 

BIBLIOGRAFIA

How to Bench by Greg Nuckols

Pode o álcool fazer parte da dieta? Como?

Pode o álcool fazer parte da dieta? Como?

Uma pergunta frequente, principalmente em épocas festivas ou de férias, é: Posso beber álcool enquanto faço dieta? E se sim, como o faço? Que efeitos posso esperar?

Hoje este é o tema que vamos falar com detalhe e ensinar-te como implementar uma estratégia sem que percas o foco nos teus objetivos.

O uso de substâncias químicas para alterar o humor é uma técnica muito antiga, e o álcool foi provavelmente uma das primeiras substâncias a ser usadas.

Para ter dados reais, fizemos um inquérito no grupo privado da Team Sik Nutrition! E os resultados são interessantes porque são realmente pessoas que nos contam abertamente sobre as suas opções. Isto porque fez prever que a maioria das pessoas terá todo o interesse neste artigo dado que a fatia de pessoas que bebe álcool é maior do que a que não bebe.

Resumidamente:

  • Cerca de 87% das pessoas consome álcool regularmente
  • Apenas 13% admite não consumir qualquer tipo de bebida alcoólica
  • +40% das pessoas bebem pelo menos 1x por mês
  • Apenas 4% admite beber álcool diariamente

 

O que é o álcool?

Existem diferentes variedades de álcool, entre os quais o Etanol que é a substância que pode ser encontrada na cerveja, vinho, whisky entre outras bebidas comuns. Não deve ser confundido o Etanol que é usado nestas bebidas com o álcool etílico usado quando queimas as tuas canelas no peso morto!

O Etanol, aquele amigo que te deixa “na loucura” quando bebes uns copos, é um produto obtido através da fermentação de plantas que são ricas em hidratos de carbono como: fruta, trigo, milho, etc.

O álcool é um macronutriente, talvez o que é menos falado relativamente aos outros três (gordura, proteína e hidratos de carbono). O álcool não representa nenhum papel vital no funcionamento do teu organismo.

O álcool como macronutriente tem energia que equivale a 7 kcal por grama.
O álcool é facilmente absorvido pelo teu organismo e a velocidade de absorção depende da quantidade de comida presente no estomago.

Uma bebida costuma ter em média entre 8 a 12 gramas de álcool, considerando uma bebida: uma cerveja, um copo de vinho, ou uma medida duma bebida espirituosa (vodka, rum, whisky).

Exemplo de equivalências de bebidas alcóolicas:

  • Uma cerveja 330ml = 5%
  • Copo de vinho 150ml = 12%
  • Aperitivo (Porto) 90ml = 18%
  • Bebida branca (Gin) 50ml = 40%

 “O álcool como macronutriente tem energia que equivale a 7 kcal por grama.”

Os (verdadeiros) efeitos do álcool

Álcool e composição corporal

Existem alguns mitos sobre o consumo de álcool. Um deles é que por si só faz engordar… Não podemos dizer que é mentira! Se este consumo de calorias líquidas sob forma de bebidas alcoólicas significar um excedente calórico, esse excedente poderá sem dúvida levar ao ganho de gordura terminando nalguns casos de obesidade.

Calorias à parte, existem outros efeitos do álcool que podem levar indirectamente ao ganho de gordura através de excessos. O consumo destas bebidas pode levar a perda de controlo, ou mesmo a sentir uma vontade ainda maior de comer alimentos densamente calóricos como fast food. Depois de 2 sangrias, quem não vai adorar uma ida á Merendeira? Hum…

Se tens problemas com compulsões alimentares ou dificuldade em cumprir a tua ingestão calórica actual, o consumo de bebidas alcoólicas pode criar distúrbios ainda mais pronunciados entrando num ciclo vicioso de falha -> culpa –> compensação…

Álcool e efeitos na testosterona

Alguns estudos falam num possível declínio na testosterona após o consumo de álcool. O que não é mentira, mas a magnitude desse declínio deve ser analisada. Um estudo avaliou durante 3 semanas, que contemplava homens e mulheres, e considerou o consumo de 30-40g de álcool por dia (cerca de 3-4 bebidas alcoólicas). Esse mesmo estudo teve como resultado um decréscimo de 6,8% na testosterona nos participantes masculinos e nenhuma mudança significativa nas participantes femininas.

Se este decréscimo, que por si é pequeno, considerou o consumo diário de álcool de 3-4 bebidas POR DIA, o consumo de alguém que consome 1-2 bebidas 1 a 2 vezes por semana será mais que seguro no que diz respeito a nível de testosterona. Se esperas beber mais que o proposto no estudo talvez devas consultar o teu médico, e perceber se não tens nenhum distúrbio alcoólico.

Álcool e hipertrofia muscular

É aceite que o consumo frequente de álcool pode interferir nos mecanismos de hipertrofia através da supressão do mTOR. Desta forma, não será obrigatório cortar na sua totalidade, mas se queres maximizar a hipertrofia tenta manter num mínimo que permita ter a tua vida social ativa.

E como podes incluir álcool na tua dieta?

Algumas regras que te permitem inserires álcool na tua dieta actualmente:

  • Tenta controlar a tua ingestão de gorduras neste dia para o mínimo possível (algo na casa das 0,3g por kg de peso corporal)
  • Limita a tua ingestão de hidratos apostando neste dia mais em vegetais e frutas a acompanhar as tuas fontes de proteína
  • Quanto mais doce for a bebida seleccionada maior é a quantidade de hidratos presente, por isso entre um licor e um gin normalmente o gin tem menos hidratos. Logo bebidas como gin, rum, vodka, tequila e whisky são praticamente 0 hidratos mas contêm álcool. Gin tónico com 7up diet? Whaza…. 😀
  • Já que decidiste seguir recomendação de reduzir a gordura e hidratos ingeridos ao longo do dia, aposta no consumo de proteína!
  • Se estás numa fase de perda de gordura e não queres deixar que as noitadas e bebidas afetem o teu progresso então limita a uma vez por semana este tipo de abordagem.

  “Depois de 2 sangrias, quem não vai adorar uma ida á Merendeira?”

Quantidade de álcool e quais as fontes

Já ouviste “Beba com moderação”. Mas quem é a moderação para eu ir beber uns copos com ela?

Agora mais seriamente, beber com moderação considera-se o consumo de 1-2 bebidas nesse mesmo dia ou até 30g de álcool.

Pensando semanalmente:

  • Mulheres: até 7 bebidas por semana (nunca excedendo 3 num só dia)
  • Homens: até 14 bebidas numa semana (nunca excedendo 4 num só dia)

E tens de beber tudo isto? Num dia? Numa semana?

Não claro! Encontra o número de bebidas que realmente se enquadram na tua vida. E como podes saber isso?

  • Quantidade de álcool que te permite sentir mais livre e extrovertido(a)
  • Quantidade que não coloque em causa a tua dependência desta bebida
  • Que não afete o teu balanço calórico pretendido para esse mesmo dia

Se quiseres procurar algumas bebidas:
Get Drunk not FAT

Resumo

Se não bebes álcool actualmente não haverá nenhuma razão para o começares a fazer.

Se o fizeres lembra-te que deve ser por diversão e aproveitar a ocasião! Sintomas como beber por hábito, stress ou por pressão de terceiros é uma má opção e tem riscos associados a dependência.

Como resumo, o álcool deve ser bebido com moderação, pelos vários motivos referidos. Não tem de ser totalmente removido e é possível fazer parte da dieta! No entanto deves ter em atenção que 15% das pessoas que provam álcool tornam-se viciadas, e que nos Estados Unidos 25% das mortes estão relacionadas com álcool, tabaco ou drogas.

Beber com moderação pode ser viável e seguro mas não significa que está isento de problemas a longo prazo.

Agora vai lá beber o teu Gin Tónico no fim-de-semana, e Descomplica, com juízo J

Referências:

Truth about alcohol fat loss and muscle
Science binge drinking
Alcohol and dieting

 

Por João Gonçalves